Sophia de Mello Breyner homenageada no Oceanário

Foto
Sophia de Mello Breyner Adriano Miranda/PÚBLICO

"A ideia de dar o nome de Sophia de Mello Breyner a uma sala do Oceanário já é antiga, tem cerca de um ano e surgiu porque, sendo ela muito ligada ao mar e muitas das suas obras terem por tema o mar, consideramos que merecia esta homenagem", disse à Lusa Luís Pinheiro de Almeida, do gabinete de imprensa do Oceanário. A par deste "baptismo", a homenagem inclui ainda a inauguração de uma exposição de poemas da escritora que têm como tema o mar no Aquário Central do Oceanário.

Agendada para hoje está igualmente o lançamento de "Mar", uma antologia revista e aumentada da autora, seleccionada e organizada pela filha, Maria Andresen de Sousa Tavares. Os cerca de 130 poemas que compõem a nova edição de "Mar" foram extraídos de diversos livros da escritora: "Poesia", "Dia do Mar", "Coral", "No Tempo Dividido", "Mar Novo", "Livro Sexto", "Geografia", "Dual", "O Nome das Coisas", "Navegações", "Ilhas", "Musa" e "O Búzio de Cós e Outros Poemas".

A antologia apresenta também cerca de oito dezenas de poemas que não tinham integrado as quatro edições anteriores, existindo também os que tinham sido publicados mas apenas parcialmente: "Mar", "Gráfico" e "O Sol o Muro o Mar". O lançamento da obra conta com a participação de Vítor Tavares de Castro, presidente do Oceanário, Zeferino Coelho, da Editora Caminho, e Maria Andresen de Sousa Tavares, organizadora da colectânea.

A homenagem à poetisa, falecida a 2 de Julho de 2004, termina com uma declamação de poemas por Teresa Lima e Diogo Dória.