9º Festival de Vídeo de Ovar com 43 obras em competição

Ovarvídeo arranca na quinta-feira

O festival dedica uma retrospectiva a Spike Jonze
Foto
O festival dedica uma retrospectiva a Spike Jonze DR

A 9ª edição do Ovarvídeo, Festival Nacional de Vídeo de Ovar, vai decorrer entre 28 e 31 de Outubro. Além das 43 obras a concurso, destaque para uma retrospectiva dedicada ao realizador Spike Jonze e para a estreia de "A Arte da Memória", segundo episódio do projecto "Pró Memória".

Com honras de abertura, na quinta-feira, "A Arte da Memória", realizado por Tiago Pereira e Raquel Castro, é o segundo episódio do projecto "Pró Memória", da produtora 0=2, uma série de vídeos, com carácter etnográfico, realizados em diferentes zonas do país. Segundo a Lusa, o terceiro episódio desta série centrar-se-á em Famalicão e a produtora está a negociar com outras autarquias a continuidade do projecto, nomeadamente com Oeiras, Matosinhos e Leiria.

Na mostra internacional, destaca-se uma retrospectiva dedicada ao norte-americano Spike Jonze, realizador de filmes como "Queres Ser John Malkovitch?" e "Inadaptado" e com uma vasta e premiada obra em matéria de vídeos musicais, publicidade e desportos radicais como o skateboarding e as BMX, uma paixão pessoal que lhe serviu também para iniciar a carreira. No certame serão exibidos diversos telediscos (Chemical Brothers, Björk, Beastie Boys, etc) e anúncios.

A secção internacional inclui ainda os programas "Moving North - 10 Dance Short Films", resultado de parcerias entre realizadores e coreógrafos nórdicos com dez vídeos de dança originais (de cinco minutos cada); "backup.award", selecção de trabalhos da secção competitiva do alemão backup_festival. new media in film; e "Raça Filmes", obras desta produtora brasileira que integraram a Mostra Curta Cinema, festival de curtas do Rio de Janeiro.

Em competição nacional estarão 43 obras, seleccionadas entre as 143 enviadas a concurso, a exibir em quatro sessões no Cine-Teatro de Ovar. O certame atribui oito galardões, além de menções honrosas, sendo dois dos prémios atribuídos a jovens. O júri é constituído por Gonçalo Luz, José Miguel Gaspar e Manuel Mozos.

O certame inclui ainda os workshops O Cinema Mudo Sonoro, orientado por Edgar Pêra, e O Documentário da Realidade que Não Existe, orientado por Marcelo Tas.