Conferência Internacional de Engenharia Costeira

Erosão: Aveiro e sul de Espinho são as zonas mais problemáticas

A erosão costeira é um dos problemas em foco na conferência
Foto
A erosão costeira é um dos problemas em foco na conferência Pedro Cunha/PÚBLICO

O especialista em problemas costeiros Trigo Teixeira avisou hoje que as costas de Aveiro e a sul de Espinho são as zonas mais problemáticas em termos de erosão no território português. A Conferência Internacional de Engenharia Costeira, que decorre até sexta-feira no Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), acolhe centenas de peritos para debater questões ambientais do litoral, como as construções portuárias e as obras de regularização costeira.

"Os problemas de erosão costeira em Portugal estão essencialmente na costa centro. A zona mais preocupante é a sul da ria de Aveiro e em Esmoriz, a sul de Espinho, onde são necessárias obras de protecção costeira", declarou o professor de engenharia costeira do Instituto Superior Técnico (IST).

O investigador defende também a demolição das casas ilegais na zona da Ria Formosa, uma área protegida e onde há muitas construções edificadas em zonas proibidas.

Trigo Teixeira é um dos 600 especialistas reunidos pelo LNEC na "principal conferência no mundo inteiro dedicada aos temas da engenharia costeira", como descreveu o presidente do laboratório, Nunes Correia.

"Este congresso vai ser uma forma de Portugal aprender muito, mas também tem muita investigação para mostrar", afirmou Nunes Correia.

O ministro das Obras Públicas e Transportes, António Mexia, que presidiu à sessão de abertura do congresso, frisou que a gestão costeira é "um problema importante para Portugal do ponto de vista económico e ambiental". Para o governante, é importante Portugal "discutir soluções para problemas críticos" como são os da costa.

Sugerir correcção