Novo espaço comercial foi ontem inaugurado

Alcochete: autarquia desvaloriza abertura sem licença do "outlet" da Freeport

Aberto desde Junho, o centro comercial faz inauguração ainda com bastantes lojas fechadas
Foto
Aberto desde Junho, o centro comercial faz inauguração ainda com bastantes lojas fechadas Tiago Petinga/Lusa

O presidente da Câmara de Alcochete, José Dias Inocêncio, admitiu que o "outlet" da Freeport naquele concelho foi inaugurado ontem sem licença de utilização, mas garantiu que a empresa já entregou a documentação necessária para o licenciamento.

"Faltava um documento fundamental: o projecto de arquitectura definitivo, com todas as alterações, sem o qual era impossível passarmos a licença de utilização", esclareceu o autarca socialista, acrescentando que 99 por cento dos estabelecimentos desta natureza abrem as portas antes de ser emitida a licença de utilização.

José Dias Inocêncio comentava hoje as declarações de dirigentes da Comissão Instaladora da Federação Nacional do Comércio (FNC) que apelaram na quarta-feira ao "imediato encerramento" do novo "outlet" Freeport de Alcochete por falta de licença de utilização comercial.

O autarca adiantou que a Freeport só procedeu à entrega de toda a documentação necessária poucas horas antes da cerimónia de inauguração daquele que é considerado o maior "outlet" da Europa, e que deverá criar cerca de cinco mil postos de trabalho directo e indirectos, mas considerou que não seria correcto impedir o evento por questões de menor importância.

"Era completamente ridículo se, por uma questão de menor importância, impedíssemos a realização de um evento desta natureza, a partir do momento em que foram dadas garantias com a entrega da documentação definitiva do projecto", disse. "Não houve tempo para passar a licença de utilização porque houve um atraso da parte da empresa e, como é óbvio, não íamos passar a licença de utilização sem verificar os documentos que nos entregaram", acrescentou o presidente da Câmara de Alcochete, deixando claro que a regularização do projecto é apenas uma questão de tempo.

A cerimónia de inauguração do "outlet" da Freeport em Alcochete, ontem, contou com a presença do ministro das Cidades, Administração Local, Habitação e Desenvolvimento Regional, José Luís Arnaut; do "chairman" da Freeport, Sean Collidge; dos príncipes de Inglaterra Eduardo e Sophye Rhys Jones; e ainda com as participações musicais da banda portuguesa GNR e do cantor pop britânico Tom Jones.

O "outlet" é um conceito de espaço comercial fora dos grandes centros urbanos onde as marcas vendem os seus produtos a preços reduzidos, com descontos que podem chegar aos 50 por cento.

Numa área equivalente a 55 estádios de futebol, o Freeport de Alcochete tem 240 lojas e 40 restaurantes, além de 21 salas de cinema com capacidade para cinco mil lugares e de um anfiteatro ao ar livre, onde irão decorrer espectáculos de música e animação.

De acordo com o grupo britânico Freeport Leisure, que promoveu o projecto, o espaço custou cerca de 250 milhões de euros, e deverá ser visitado por 20 milhões de pessoas no primeiro ano, dos quais três milhões serão turistas.

Sugerir correcção