Nova novela da Globo com petróleo russo

Um magnata petrolífero russo que sofre de amnésia descobre que, na realidade, é brasileiro e viu a sua família ser morta. Resolve então viajar até ao Brasil para vingar-se e procurar a mulher que foi o grande amor de sua vida. Segundo a Reuters, trata-se do enredo da próxima telenovela da rede Globo que não vai afectar o preço mundial do petróleo. A Globo tem procurado nos últimos anos incluir temas internacionais em destaque no argumento das suas novelas. António Calmon, autor do argumento da nova novela "Começar de Novo", explicou: "A ideia foi filmar uma novela mostrando o mundo do petróleo e nossas plataformas marítimas." "Num primeiro momento, pensámos em ter um executivo petrolífero do Oriente Médio que viria para o Brasil para abrir uma 'joint venture'. Mas então houve toda a situação complicada nessa região e os atentados em Madrid, coisas que poderiam afectar o roteiro ao longo dos oito meses de filmagem da novela, então resolvemos situar o executivo em Moscovo", disse. Enquanto o petróleo russo move a imaginação dos autores da novela, é o petróleo brasileiro que vai pagar a conta. A Petrobrás, maior empresa do Brasil, está a financiar a novela e quis que algumas de suas actividades fossem mostradas. "Hoje em dia, você sabe, nada é feito sem a Petrobrás, que investe muito em novelas e no cinema. Mas não é apenas questão de 'merchandising'. As vistas das plataformas marítimas serão fantásticas", disse Calmon. As finanças da rede Globo, responsável pela novela de 150 capítulos que estreia no final de Agosto no Brasil e provavelmente pouco tempo depois em Portugal, já estiveram melhores. A empresa está repleta de dívidas e está a enfrentar uma queda nas receitas publicitárias e concorrência forte. O galã Marcos Paulo fará o papel principal de "Começar de Novo" e é co-director da novela. Embora a Rússia não tivesse sido a primeira opção dos autores, o país acabou por revelar ser um lugar melhor para filmar a novela, entre outras razões, por causa da enorme popularidade das telenovelas brasileiras no país. Muitas cenas foram rodadas em Moscovo e São Petersburgo. "A Rússia recebeu-nos de braços abertos. Adoramos ficar aqui", disse Calmon, acrescentando que Leon Tolstoi e Fiodor Dostoievski foram algumas de suas inspirações. Calmon descartou qualquer paralelo entre o enredo da novela e a situações dos magnatas petrolíferos russos que vêm fazendo manchetes. "Sua história não está ligada ao caso YUKOS", disse Calmon, falando da maior exportadora de petróleo da Rússia, cujo fundador, Mikhail Khodorkovsky, enfrenta julgamento por sonegação de impostos. "E não há envolvimento da KGB ou de alguma máfia russa. Não quisemos prejudicar a imagem da Rússia ou da União Soviética.