Nuno Delgado quer defender o bronze conquistado em Sydney 2000

Portugueses em Atenas perdem na natação mas mantêm esperança no judo e vela

Nuno Delgado defende o bronze esta manhã
Foto
Nuno Delgado defende o bronze esta manhã Paulo Novais/Lusa

O judoca Nuno Delgado (-81 kg) entra hoje acção nos Jogos Olímpicos de Atenas 2004, para defender o bronze conquistado em Sydney 2000, mas o português vai subir ao tapete limitado por uma ligeira lesão.

Um traumatismo nos dedos da mão direita contraído num treino de ontem pode prejudicar o desempenho de Delgado, de 27 anos, que se estreia com a responsabilidade de ser o último representante do judo português a poder alcançar as medalhas.

No primeiro combate, agendado para as 11h00 (09h00 em Lisboa), o campeão europeu de 1999 e vice-campeão de 2003 pode fazer valer a sua experiência face ao italiano Roberto Meloni, um jovem de 23 anos que já foi vice-campeão do Mundo de juniores e terceiro no Europeu absoluto.

Apesar de ainda não ter ganho qualquer medalha, o judo tem efectuado uma boa prestação em Atenas, com os sétimos lugares de João Neto (-73 kg) e João Pina (-66 kg), além do nono posto de Telma Monteiro (-52 kg).

Portugal estará noutras quatro modalidades, abrindo a sua prestação no tiro, com João Costa, que participa nas qualificações da competição de pistola a 50 metros, seguindo-se a natação com três provas.

Nos 100 metros livre, o jovem Tiago Venâncio conseguiu bater o seu recorde nacional mas não conseguiu uma presença na meia-final, que igualaria o feito de Alexandre Yokochi em Los Angeles1984. Venâncio terminou na 7ª posição, com 50,18 segundos, na nona série de apuramento.

Também Raquel Felgueiras nadou a sua eliminatória dos 200 metros mariposa, mas não conseguiu novo máximo nacional, conseguindo apenas o 20º lugar entre 32 nadadoras.

Também na natação, resta a estafeta 4x200 metros livre (Luís Monteiro, Adriano Niz, João Araújo e Miguel Pires), para disputar a eliminatória de acesso à final, igualmente com o pensamento em novo recorde nacional.

Após uma jornada inaugural desastrosa, devido a algum nervosismo do seu cavalo "Laughton Hills", Carlos Grave competiu na segunda prova de Concurso Completo de Equitação, desta feita no corta-mato, com o propósito de fazer um percurso sem qualquer falha, o que lhe permitiria ascender provavelmente muitas posições.

O forte vento (Meltemia) registado ontem na zona de Agios Kosmas impediu a frota de vela portuguesa de efectuar as suas regatas, mas para hoje está prevista uma acalmia do tempo, pelo que Gustavo Lima (Classe Laser), João Rodrigues (Mistral), Joana Pratas (Europe) e Álvaro Marinho/Miguel Nunes (470) deverão voltar ao mar.

João Rodrigues terá um dia movimentado, uma vez que a organização ditou a repetição da primeira regata, em que tinha sido segundo, pelo que terá de disputar três, enquanto os 470, que também viram as suas regatas de segunda-feira adiadas, disputarão as regatas no dia de reserva.