Governo desmente candidatura de Durão Barroso à Comissão Europeia

Foto
O gabinete de Durão Barroso garante o apoio à candidatura de António Vitorino Daniel Rocha (PÚBLICO)

"O primeiro-ministro não é candidato e o Governo português apoia a candidatura de António Vitorino à presidência da Comissão Europeia", sublinhou a mesma fonte, numa reacção a declarações do presidente do PPE, sobre uma eventual entrada de Durão Barroso na corrida para chefiar o executivo comunitário.

Wilfried Martens anunciou hoje, em Bruxelas, que Durão Barroso e os chefes de Governo da Holanda, Jan Peter Balkenende, e da Áustria, Wolfgang Schuessel, seriam os três candidatos do PPE à sucessão do italiano Romano Prodi na presidência da Comissão Europeia. O líder do PPE falava numa conferência de imprensa, depois de ter confirmado que o primeiro-ministro luxemburguês, Jean-Claude Juncker, recusou a candidatura ao cargo.

A decisão formal do PPE sobre o seu candidato à presidência da Comissão Europeia será tomada amanhã, antes do início do Conselho Europeu de Bruxelas, como indicou o secretário-geral daquela família política, Antonio Lopez Istúris.

O PPE tem grandes expectativas de que o futuro presidente do executivo comunitário pertença a este grupo político, já que foi o vencedor das eleições europeias da semana passada.

O Governo português apoia oficialmente a candidatura do actual comissário europeu para a Justiça e Assuntos Internos, o socialista António Vitorino, apesar de pertencer a uma família política europeia diferente da do PSD.

Esta semana, a ministra dos Negócios Estrangeiros, Teresa Gouveia, reiterou o apoio do Governo à candidatura de António Vitorino para a presidência da Comissão Europeia. "Achamos que as suas qualidades dariam um excelente presidente e continuaremos a defender a sua candidatura", disse Teresa Gouveia no Luxemburgo, a propósito do actual comissário para a Justiça e Assuntos Internos.

Na ocasião, Teresa Gouveia lembrou que Portugal é o único país que apoia oficialmente um candidato e classificou de "situação original" o facto de a coligação de centro-direita apoiar uma personalidade da oposição socialista, António Vitorino, indo mesmo contra a posição do PPE, a que pertence o PSD.

Sugerir correcção
Comentar