Vítima de doença prolongada

Morreu o deputado comunista Lino de Carvalho

Lino de Carvalho militava no PCP desde 1969
Foto
Lino de Carvalho militava no PCP desde 1969 António Cotrim/Lusa

O deputado do PCP e vice-presidente da Assembleia da República Lino de Carvalho faleceu hoje, aos 58 anos, vítima de doença prolongada. O Secretariado do Comité Central do PCP já manifestou "profundo pesar" pela perda.

"O PCP endereça os seus sentidos pesâmes à mulher, filhos e outros familiares de Lino de Carvalho e evoca com respeito e apreço a sua generosa contribuição para a luta do seu partido pela liberdade, pela democracia e pelo socialismo, à qual empenhada e combativamente dedicou as suas melhores energias e capacidades", diz o PCP, em comunicado citado pela Lusa.

O deputado, eleito pelo distrito de Évora à Assembleia da República desde 1987, era ainda membro da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa e vice-presidente do grupo parlamentar do PCP.

Militante do PCP desde 1969, integrava o Comité Central desde Dezembro de 1988 e dedicou-se, nos últimos 17 anos, às questões relacionadas com a agricultura e as políticas e estratégias agrícolas em Portugal. A sua mais recente área de intervenção parlamentar foi a defesa de políticas de incentivo à exploração agrícola do perímetro de rega da Barragem do Alqueva, sendo o responsável pelo projecto de lei do PCP que procurou instituir um "banco de terras" estatal para arrendamento e um limite máximo de extensão da propriedade na zona.

O líder do PCP, Carlos Carvalhas, manifestou-se consternado com a morte do "amigo e camarada" Lino de Carvalho, que dedicou a melhor parte da sua vida "ao combate pelas causas mais generosas".

Carlos Carvalhas recordou o deputado Lino de Carvalho como um "lutador", que, primeiro, se bateu pela liberdade e pela democracia, pagando tal luta com a prisão e a tortura da PIDE, e, depois, pela consolidação do regime democrático, defendendo a reforma agrária.

António Abreu, deputado comunista, disse à TSF que a morte de Lino de Carvalho foi "uma notícia esperada", dado que o deputado estava bastante doente, e elogiou o homem que dedicou a "vida à luta política", lembrando-o como um "deputado que marcou várias legislaturas pelo nível e intensidade das suas intervenções". António Filipe, deputado do PCP, lamentou de forma combalida a morte de uma "enorme figura política". "Perco um camarada, um grande amigo", rematou o comunista.

O Presidente da República, Jorge Sampaio, que se encontra em Bragança nas comemorações do Dia de Portugal, lamentou, também emocionado, a perda de um "amigo de longa data" e elogiou a "enorme coragem" e "grandeza" com que enfrentou os tempos díficeis que antecederam a sua morte, endereçando condolências à família do político e ao Partido Comunista Português.

Lino de Carvalho participou activamente na luta estudantil e da oposição democrática nos anos finais do fascismo e teve destacada intervenção no processo da reforma agrária e da sua defesa. Esteve ligado ao processo da reforma agrária enquanto membro fundador dos secretariados das Unidades Colectivas de Produção/Cooperativas Agrícolas e vice-presidente da Federação Nacional de Cooperativas de Produção e esteve ligado à organização das doze Conferências da Reforma Agrária.

O histórico do PCP assinou recentemente, nos 30 anos do 25 de Abril, a obra "Reforma Agrária - Da Utopia à Realidade", editada pela Campo das Letras, na colecção Campo da História.