Coimbra mobilizada para estrear o novo estádio

Se o velho Calhabé nunca foi inaugurado, o novo Estádio Cidade de Coimbra, construído especialmente para receber dois jogos do Euro 2004, vive hoje a sua terceira estreia. E se a inauguração protocolar, em 12 de Setembro último, não teve pompa nem circunstância, quinze dias depois, o concerto dos Rolling Stones, com cerca de 45 mil espectadores, associava o novo recinto a um evento que irá perdurar na história da cidade. Um contributo de peso para provar que "este é um espaço para espectáculos vários", conforme deseja o presidente da Câmara de Coimbra, Carlos Encarnação.Hoje à noite cumpre-se a terceira inauguração, a desportiva, e de novo ao mais alto nível, com a recepção ao Benfica, em jogo atrasado (a pedido da Académica) da terceira jornada da SuperLiga. Para este clássico de outras épocas é esperada casa cheia, restando poucos bilhetes para vender hoje. Durante os dias que antecederam o desafio, a procura de ingressos por parte de sócios e não sócios surpreendeu os responsáveis da Académica. E até a academia não desperdiçou a importância do evento, estando prevista uma manifestação de estudantes contra a actual política de propinas.Devido à existência de obras junto à bancada do topo norte, esta não será para já ocupada, pelo que é necessário subtrair cerca de cinco mil lugares, ficando a lotação máxima para este Académica-Benfica restringida a 25 mil lugares. "Um presidente de câmara nem sempre tem a oportunidade histórica de lhe acontecer isto", reconhece Carlos Encarnação, feliz pelo facto do Estádio Cidade de Coimbra ser inaugurado durante o seu mandato. O autarca continua, no entanto, a lembrar que um recinto deste género irá obrigar a um grande esforço financeiro por parte do município, no sentido de garantir a sua manutenção.Também para fazer face a estas despesas, a Câmara de Coimbra procurou explorar ao máximo a polivalência do recinto. Pelo que o novo estádio volta a ter capacidade para receber futebol e atletismo, como já acontecia no anterior municipal, mas não só. No renovado espaço há lugar para espectáculos e até exposições, e agregado ao estádio, serão construídas piscinas olímpicas, um pavilhão polivalente e uma zona comercial.As portas do Estádio Cidade de Coimbra abrem às 18h30. Cerca das 20h30, terá início uma cerimónia com "forte componente académica", a que se seguirá um espectáculo musical de guitarra e viola, instrumentos que se associarão em seguida ao Coro de Antigos Orfeonistas, que neste caso irá contar com a participação de dois solistas, Carlos Encarnação e Almeida Santos, no momento em que será interpretado o Hino Nacional. Depois desta componente musical, várias gerações de academistas darão o "pontapé de saída" no novo estádio. Entretanto, nas bancadas, o comediante Pedro Tochas fará entrevistas, que serão transmitidas no écrã gigante do estádio. A autarquia preparou também "uma grande surpresa de âmbito académico, que deverá bater um recorde do Guiness".A entrada de Paulo Adriano para o lugar de Fredy constitui a novidade dos 18 convocados da Académica para o jogo com o Benfica. O treinador dos "estudantes", Vítor Oliveira, pretende causar surpresa e quebrar a tradição da invencibilidade do Benfica, em Coimbra, alcançando uma vitória moralizadora em tempo de inauguração do remodelado Estádio Cidade de Coimbra. São poucas as mexidas relativamente ao último jogo com o Moreirense, devendo o técnico apostar no avançado Marcelo, visto que a sua entrada no último encontro resultou na conquista de um precioso empate (1-1).Convocados da Académica: Guarda-redes: Pedro Roma e Fouhami; defesas: Filipe Alvim, Nuno Luís, Tonel, José António, Pedro Henriques e Tixier; médios: Rocha, Lucas, Paulo Adriano, Marinescu, Dionattan, Fábio Felício, Rodolfo e Fiston;avançados: Delmer e Marcelo.