Rede Ex Aequo lança campanha digital contra o preconceito sexual

Foto
A associação está disponível para responder às dúvidas dos cibernautas sobre gays, lésbicas, bissexuais ou transgéneros DR

A campanha, adaptada de uma iniciativa homónima lançada no Brasil em 2002 e da qual a associação criou uma versão portuguesa, arrancou este domingo.

O mês de Junho tem um "enorme simbolismo para a população lésbica, gay, bissexual e transgénera (LGBT) de todo o mundo, dado tratar-se do mês do orgulho LGBT, que marca a comemoração dos acontecimentos em Stonewall, em 1969", justifica a rede, em comunicado recebido pelo PUBLICO.PT.

A campanha tem como objectivo "levar o utilizador da Internet não só a reflectir sobre o preconceito existente para com as pessoas LGBT, mas também a informá-lo sobre questões relacionadas com a população LGBT, combater a ignorância sobre a sua realidade, esclarecer dúvidas existentes, destruir estereótipos errados e preconceituosos que denigrem e deturpam a realidade da vivência destas pessoas, tantas vezes vítimas de uma homofobia social e institucional".

Para tal, a Rede Ex Aequo quer criar banners com frases que façam o cibernauta pensar no assunto e clicar para aceder à página da campanha, onde é possível encontrar respostas a eventuais dúvidas sobre o assunto. Um dos banners questiona o cibernauta: "Acha que os gays não merecem o seu respeito?". Em seguida, o banner enumera uma série de personalidades "gays, lésbicas e bissexuais famosas", entre as quais Leonardo Da Vinci, Virginia Wolf, Oscar Wilde, Sócrates, Janis Joplin, que "mudaram a nossa história".

A associação vai, assim, propor aos sítios de Internet portugueses, individuais e de empresas, para apoiarem esta iniciativa contra a discriminação.