Em Bagdad

EUA denunciam utilização de mesquitas e hospitais para lançar ataques

As autoridades iraquianas acusam as forças aliadas de atacarem intencionalmente locais sagrados
Foto
As autoridades iraquianas acusam as forças aliadas de atacarem intencionalmente locais sagrados Patrick Baz/AFP

As autoridades iraquianas estão a utilizar mesquitas e hospitais para lançar ataques em Bagdad, denunciou hoje o Comando Central norte-americano.

As forças norte-americanas afirmam ter "informações credíveis segundo as quais elementos militares iraquianos no sector de Bagdad utilizam mesquitas e hospitais como bases para desencadearem operações militares", indica um comunicado do Comando Central (Centcom) no Qatar.

Os locais utilizados são, nomeadamente, "a mesquita Mãe de Todas as Batalhas, no noroeste de Bagdad, e o Hospital Saddam, que figuram na lista de alvos da coligação", precisou o porta-voz do Centcom, Jim Wilkinson.

Estas acusações não são novas, tendo os militares americanos denunciado também, várias vezes, o uso de escudos humanos e de tácticas que colocam em perigo a vida de civis.

No passado dia 2, durante a entrada em Najaf, uma das cidades mais sagradas para os xiitas (que seguem o ramo minoritário do islão, mas são maioritários no Iraque, embora afastados do poder), as tropas da coligação foram alvo de tiros que vinham, segundo fontes militares, do interior da Mesquita do Imam Ali, cuja linhagem os xiitas acreditam ser a verdadeira sucessão de Maomé.

As autoridades de Bagdad denunciam, por seu lado, que as forças aliadas atacam intencionalmente locais sagrados para os muçulmanos.