"I'll see you in my dreams" é o primeiro filme português com "zombies"

"I'll see you in my dreams", uma curta-metragem produzida pelo estreante Filipe Melo e realizada pelo espanhol Miguel Angel Vivas, está a ser rodado em Mouraz, uma aldeia que, na história, sofre uma inexplicável "praga".

"Quem morre, acaba por aparecer novamente pouco tempo depois, com o objectivo de chatear e matar os humanos todos e transformar a população da aldeia em 'zombies‘", explicou à Lusa Filipe Melo, que, apesar de ser músico de profissão, por ser apreciador de filmes com mortos-vivos quis realizar um sonho já com dez anos.

O trabalho tem uma particularidade curiosa: os nomes das personagens masculinas são uma homenagem aos realizadores de filmes de terror e os das personagens femininas às mães dos actores.

As gravações, que começaram no passado fim-de-semana e vão prolongar-se até à próxima semana - desde que cai o Sol até ao amanhecer -, decorrem numa antiga estação dos caminhos-de-ferro, no alto de um monte chamado Senhora da Esperança, em arrecadações e no bosque.

"Isto tem sido uma verdadeira sopa de pedra. Se precisamos de um sítio para gravar, as pessoas da aldeia arranjam", frisou Filipe Melo, congratulando-se também com o apoio da Câmara Municipal e dos bombeiros de Tondela.

Os efeitos especiais estão a cargo de uma equipa de canadianos da empresa SFX Studios, que já fez trabalhos para filmes como "X-Men 2", "A Quinta Dimensão" e "Ficheiros secretos", uma "vitória" que Filipe Melo conseguiu depois de dois anos de conversações.

O objectivo é "meter muito medo a uma criança e entreter muito um adulto", oferecendo-lhes não apenas uma mostra de mortos-vivos, mas uma história em que há "o bom e o mau", sendo que, na última categoria, se inserem tanto "zombies" como humanos, explicou.

Segundo Filipe Melo, "I'll see you in my dreams" é uma curta-metragem (com cerca de 20 minutos), por um lado porque a história pode ser contada em pouco tempo e, por outro, porque se trata de um investimento pessoal e nunca poderia pagar uma longa-metragem.

"É uma curta mais cara do que as outras, mas na qual as pessoas recebem muito menos do que nas outras", sublinhou.

Do elenco farão parte Sofia Aparício, João Didelet, Rui Unas, Manuel João Vieira, Adelino Tavares e São José Correia.

Os "Moonspell" vão interpretar a música que deu nome ao filme, um original dos anos 30 que inspirou Filipe Melo, "apesar de ser muito romântica e alegre".

O produto final só deverá ficar pronto daqui a mais de dois meses. O objectivo é apresentar o trabalho em festivais de cinema de Portugal e Espanha, havendo também negociações com a SIC Radical.

Filipe Melo pretende também contactar a ACERT, de Tondela, de forma a poder exibir a película gratuitamente para toda a população do concelho.

Paralelamente, está também a ser preparado um documentário a explicar como se faz um filme de terror.

Sugerir correcção
Comentar