PS elege hoje comissão política e secretariado

Foto
PUBLICO.PT

Eduardo Ferro Rodrigues parece apostado em dar uma imagem real de renovação e de constituir uma equipa executiva para gerir o PS no dia-a-dia de figuras próximas de si. A equipa está já completa e o inesperado vai para a ascensão fulminante de Pedro Adão e Silva ao secretariado.

Este órgão de direcção quotidiana do PS será eleito hoje, após a eleição da comissão política, naquela que é a primeira reunião depois do Congresso do passado fim-de-semana.

Pedro Adão e Silva é assim, tal como Ana Gomes, um dirigente recente, já que só integrou a direcção no último congresso, ao ser eleito para a comissão nacional.

Além de Pedro Adão e Silva e Ana Gomes, os membros a eleger para o secretariado são ainda Alberto Martins, Ana Benavente, António Costa, José Sócrates, Luís Nazaré, Maria de Belém Roseira, Paulo Pedroso, Rui Cunha, Vieira da Silva.

Estes irão juntar-se aos membros por inerência, como é o caso de Maria do Carmo Romão, presidente do departamento das mulheres socialistas, Jamila Madeira, secretária-geral da JS. O actual líder parlamentar é António Costa, que como é também membro eleito não utilizará o seu direito ao lugar por inerência.

Ontem à hora do fecho desta edição e de acordo com as informações recolhidas pelo PÚBLICO, era já possível publicitar alguns dos pelouros que os membros do futuro secretariado vão ocupar.

Assim: o importante pelouro da organização vai para Paulo Pedroso. Ana Gomes fica com as relações internacionais. Luís Nazaré com o pelouro da inovação. Vieira da Silva ficará com os assuntos políticos. Pedro Adão e Silva com os assuntos gerais.

Secretariado mais "ferrista"

O resultado final da composição do secretariado apresenta-se como uma equipa de figuras em grande número próximas de Ferro Rodrigues. E do total de nomes eleitos, apenas António Costa e José Sócrates são, por assim dizer, "outsiders" do círculo político de Ferro.

Mesmo Rui Cunha, que é assumidamente um membro da tendência interna do PS liderada por João Soares, foi secretário de Estado de Ferro Rodrigues desde o primeiro ao último momento em que o actual secretário-geral socialista participou nos Governos de António Guterres, primeiro ministro do Trabalho e da Segurança Social, depois ministro do Equipamento Social.

De resto, Maria de Belém Roseira, saiu do Governo de Guterres, onde foi ministra da Saúde e depois para a Igualdade, em ruptura com o anterior líder do PS. E desde a eleição de Ferro tem sido manifesta a aproximação e a até a simpatia intelectual e política entre os dois.

Por sua vez, Ana Benavente e Alberto Martins são ex-companheiros de Ferro Rodrigues dos tempos do MES, se bem que a adesão e o percurso interno no PS tenham sido autónomos.

Ana Gomes aderiu ao PS já em apoio a Ferro, durante a campanha eleitoral. E Luís Nazaré, que foi assessor económico de Guterres, é dado também como um elemento próximo de Ferro, tanto que foi presidente do Instituto de Comunicações, já com Ferro como ministro do Equipamento.

Quanto a Paulo Pedroso e Vieira da Silva, é mais que próxima a relação. Foram ambos secretários de Estado de Ferro. Pedroso acabou mesmo por lhe suceder no Ministério do Trabalho.