A História de Um Dia Especial


A festa nasceu há milhares de anos, entre os celtas, que viviam nas ilhas britânicas e Norte da França. Adoravam a Natureza. O Sol era o mais importante de todos os seus deuses. O povo celebrava o ano novo no primeiro dia de Novembro, fazendo um festival, o "Samhain", que marcava o fim da estação do Sol e o início da estação da escuridão e do frio.

No último dia de Outubro, as fogueiras eram extintas nos lares. Os druidas, sacerdotes dos celtas, encontravam-se na orla escura da floresta, nas árvores ocas (consideradas sagradas), acendiam novos fogos e sacrificavam animais. Enquanto dançavam à volta das fogueiras, a estação do Sol passava e a da escuridão começava. Os druidas davam uma tocha a cada família, para acenderem as fogueiras que manteriam os lares livres dos maus espíritos. O festival durava três dias e usava-se máscaras feitas de peles e cabeças de animais.

No século I, os romanos invadiram a Bretanha. O dia "Pomona", para os seus deuses da fruta e jardins, coincidia com o "Samhain". Os dois misturaram-se, originando uma festa maior. A Igreja Católica fez daquele dia um feriado cristão em honra de todos os santos, chamando-lhe "Hallowmas", o que não fez as pessoas esquecerem antigos costumes. Na véspera do também chamado "All Hallows" continuaram a celebrar os antigos festivais, pagãos. Com o tempo, todas as festas se misturaram. O último dia de Outubro tornou-se conhecido como véspera de "All Hallows", e então Halloween. Aos EUA, a festa chegou em 1840, levada por imigrantes irlandeses que fugiam da fome. No século XX, torna-se o fenómeno que conhecemos.


Festas por todo o país

Halloween: Uma "jovem" tradição comemorada na noite portuguesa

A festa nos EUA não passa sem as abóboras
Foto
A festa nos EUA não passa sem as abóboras Toby Talbot/AP

"A tradição já não é o que era." A frase tem sido banalizada, mas é ideal para ilustrar a celebração do Halloween, esta noite, nos bares e discotecas de todo o país. Longe das origens ancestrais, a festa do Dia das Bruxas é mais um pretexto para uma noitada em véspera de feriado.

Hoje à noite comemora-se, um pouco por todo o país, a festa do Halloween. Conhece o verdadeiro significado do dia 31 de Outubro? É originário dos Estados Unidos da América (EUA), onde esta tradição é actualmente mais visível? Se poucos são os portugueses que conhecem a história do famoso Dia das Bruxas, muitos são os que festejam a noite que assinala a véspera do feriado católico dedicado a Todos os Santos.

A tradição é recente em Portugal, por importação do EUA. Alguns falam de aculturação. A verdade é que, ao contrário do que se passa nos restantes países que comemoram anualmente a data e fazem festas para as crianças, em Portugal o Halloween ganhou alguma expressão sobretudo junto dos jovens que saem à noite. Pretexto - ou não - para uma noitada em véspera de feriado, a ocasião é já celebrada na maioria das discotecas e bares portugueses. Com decoração e demais caracterização a condizer. No país, são muitos os que se mascaram (de preferência com fantasias de bruxa) para sair à noite e socializar.

Noite(s) para celebrar

Existem diversas formas de celebrar o Halloween. Dos EUA, Portugal importou a leveza com que a data é festejada - no geral, simples forma de diversão. Do Minho ao Algarve, a festa está preparada para "ser de arromba".

Na discoteca Pedra do Couto, em Santo Tirso, por exemplo, a noite dura doze horas, da meia-noite ao meio-dia do 1º de Novembro. "É uma das celebrações mais carismáticas da casa", refere o gerente da discoteca. Quanto a caracterização, é um espaço rústico "ideal para estes pormenores". Com três pistas abertas e "disc jockeys" convidados, a casa espera, à semelhança de anos anteriores, "grande adesão do público".

No Parque das Nações, em Lisboa, praticamente todos os bares dedicam a programação à "noite das bruxas". O Coyote Bar é um exemplo. Há já algum tempo que são distribuídos "flyers" aos transeuntes que por lá passam. As docas da capital prometem também não falhar na celebração, cujo início remonta há cerca de três anos. O Pasta Café distribuiu cartões, oferece rebuçados e fala de um "verdadeiro sucesso". Abóboras, aranhas e bruxinhas não faltarão.

Para quem prefere passear a pé sob o luar, há, por exemplo, o SalLuar - Passeios Nocturnos, com a sugestiva frase de apresentação: "Elas estão de volta". Entre as 21h de 31 do mês cessante e a uma hora da primeira madrugada de Novembro, as serras de São Francisco e do Louro, entre Lisboa e Palmela, serão anfitriãs de quem usar a imaginação e for fantasiado.

Muitas alternativas, no litoral e no interior, que não deixarão a noite ancestral "dos idos" em branco. O que se comemora, com ou sem superstição, é o início da estação da escuridão, um novo ciclo a chegar.