Reunidos em Boston, epicentro dos casos de abuso sexual cometidos por padres

Quatro mil fiéis exigem reforma da hierarquia católica após escândalos

Foto
Público

Em Boston, no estado norte-americano de Massachusetts, cerca de quatro mil católicos exigiram ontem a alteração do funcionamento da Igreja Católica nos EUA, pedindo que os bispos percam o controlo das finanças e gestão da instituição. A cidade foi escolhida por ter sido o epicentro, desde o início do ano, dos escândalos sexuais que abalaram a imagem da Igreja em todo o mundo.

Os católicos, unidos pela comunidade Voz dos Fiéis, criada em Fevereiro deste ano, protagonizaram ontem a maior união em torno de discursos e exigências de perca de poder por parte dos mais altos representantes da Igreja: os bispos. A Voz dos Fiéis surgiu exactamente na época das suspeitas de que não só inúmeros casos de abuso sexual tinham ocorrido no seio da Igreja, como de que alguns bispos teriam ocultado os casos e encoberto os perpetradores. Os militantes querem que a Igreja se aproxime mais dos fiéis.

A organização juntou quatro mil pessoas no encontro de ontem, mas reclama já contar com cerca de 19 mil membros – norte-americanos e estrangeiros -, que querem acabar com a política de “paga, reza e obedece” da hierarquia católica.

Do encontro de ontem saiu uma petição, a entregar ao Papa, em que os militantes convidam João Paulo II a aplicar as reformas já exigidas em Junho, desta feita pela Conferência Episcopal que juntou em Dallas cardeais e sacerdotes, na esteira dos escândalos sexuais que envolvem já dezenas de vítimas. As decisões incluíam a expulsão dos padres acusados de agresão sexual sobre menores.

Um dos pontos fortes do encontro de ontem foi a manifestação contra o cardeal de Boston, Bernard Law. Em cartazes e bandeiras, os fiéis pediam o afastamento de um dos nomes infames dos casos de pedofilia, chamado a responder à Justiça norte-americana sobre vários casos de subordinados seus acusados de abuso sexual.

As vítimas acusam Bernard Law de ter encoberto vários casos de padres pedófilos, mudando-os de paróquia em paróquia ao invés de os denunciar às autoridades. O caso comprovado e já julgado pelos tribunais do padre John Geoghan é um dos que estava sob a alçada de Law. Geoghan foi acusado de crimes sexuais contra dezenas de crianças e jovens.