Crítica

Um grande filme abstracto

A discussão deste "Redux" não pode ser reduzida apenas à questão de saber se as novas cenas "ficam bem" ou "ficam mal". Primeiro, as cenas não são "novas", nem se sente que a sua inclusão no filme seja apenas um "enxerto" - a espantosa respiração do filme permanece intocada, se não for mesmo ampliada. Dito isto, até se pode manifestar alguma reserva quanto ao segmento na plantação francesa, sequência demasiado retórica que volta a recentrar o filme na questão do Vietname - pelo menos para quem sempre tenha achado que "Apocalypse Now", passando-se na guerra do Vietname, é tudo menos um filme histórico, e que no seu núcleo tem pouco ou nada a ver com a dita guerra. Questão de pormenor que não mancha a visão de conjunto, nem impede que "Apocalypse Now" continue a ser um grande filme abstracto. Para todos os efeitos, "Apocalypse Now", agora, é este; a outra versão é que é uma versão truncada.