Nome do «grunge» morre aos 34 anos de possível overdose

Layne Staley dos Alice in Chains encontrado morto em sua casa

Layne Staley morreu em sua casa
Foto
Layne Staley morreu em sua casa DR

O cantor dos Alice in Chains, uma das bandas que deu corpo e alma ao movimento «grunge» da década de 90, Layne Staley, foi encontrado morto no seu apartamento em Seattle. Layne Staley tinha 34 anos, um problema de toxicodependência crónico e terá morrido de “overdose”. A hipótese de morte natural também é admitida pela polícia.

O corpo de Staley foi descoberto na sua casa na tarde de sexta-feira, no bairro da Universidade, em Seattle, capital do «grunge», depois de um amigo ter dado pelo seu desaparecimento. O amigo, que a polícia não quis identificar, já não via Layne Staley há várias semanas.

O cenário que a polícia encontrou rodeando a morte do cantor apresentava sinais de possível “overdose”, mas também de morte natural. Havia material usado para o consumo de drogas em redor de Staley, mas não era claro se o cantor teria consumido drogas nem quando terá falecido.

Os Alice in Chains separaram-se temporariamente em 1994 devido ao consumo de heroína de Staley. Os problemas eram muitas vezes transcritos para as letras das canções que os Alice in Chains celebrizaram, sendo que, em 1996, incapacitados pelos abusos de drogas do cantor, os quatro músicos separaram-se de vez.Layne Staley nesceu em Kirkland, no estado de Washington, e queria desde a adolescência tornar-se uma estrela de rock. Era co-fundador dos Alice in Chains com o guitarrista Jerry Cantrell. Juntos desde 1987, durante anos partilharam a escrita e composição das músicas enérgicas, sofridas e características do que veio a ser chamado “som de Seattle”, vulgo “grunge”, rótulo que muitas das bandas do alegado movimento nunca quiseram aceitar.
Os Alice in Chains eram ainda compostos pelo baixista Mike Starr e pelo baterista Sean Kinney. Starr foi substituído por Mike Inez em 1993.
O nome da banda é da autoria de Staley, que o imaginou quando tentava lembrar-se de um nome que descrevesse uma banda de “speed metal” que se travestisse.
Para trás, os Alice in Chains e a criatividade da dupla Cantrell/Staley deixam seis álbuns, dois dos quais chegaram ao número 1 dos tops norte-americanos. "Would?", parte da banda sonora do filme que eternizou a geração “twentysomething” do «grunge», “Singles” (“Vida de Solteiro”), de Cameron Crowe, é uma das músicas mais bem sucedidas dos Alice in Chains, que no seu legado apresentam ainda "Rooster” ou “No Excuses”, cuja versão acústica em espetáculo para a MTV roda ainda de forma persistente nas rádios.
Os fãs estão já a organizar uma vigília para prestar homenagem ao músico e no site da banda há já dezenas de páginas de tributo ao cantor.