Efeito da quebra dos resultados extraordinários e aumento dos impostos sobre lucros

BPI reduz lucros em 12,5 por cento em 2001

Apesar do abrandamento da economia, o BPI aumentou o produto bancário em dez por cento
Foto
Apesar do abrandamento da economia, o BPI aumentou o produto bancário em dez por cento Daniel Rocha

O Banco Português de Investimento consolidou lucros de 133,3 milhões de euros (26,7 milhões de contos) em 2001, um recuo de 12,5 por cento em relação aos 152,4 milhões de euros obtidos no ano anterior.

O banco liderado por Artur Santos Silva justifica a quebra de resultados com a diminuição de 36,6 milhões de euros nos resultados extraordinários, em relação a 2000, e pelo acréscimo dos impostos sobre lucros de 28,2 milhões de euros.

Apesar do abrandamento económico na Europa, que se traduziu em menor negócio para a banca, em geral, o BPI anuncia que aumentou em dez por cento o seu produto bancário de 709,4, em 2000, para 780,3 milhões de euros um ano depois. Os custos de funcionamento, que incorporam principalmente os custos com pessoal, aceleraram cinco por cento.

O crédito a clientes também melhorou 15 por cento, destacando-se uma apreciação de 35 por cento nos empréstimos para fins de compra de casa e de apenas quatro por cento às empresas. A fraca prestação dos empréstimos a empresas confirma os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística sobre a contracção das intenções dos empresários em realizarem novos investimentos nos próximos meses.