Luta velada entre Luís Filipe Menezes e Valentim Loureiro

Eleição do presidente da Junta Metropolitana do Porto adiada para hoje

Foto
Valentim Loureiro não assume a sua candidatura mas fontes próximas garantem que irá até ao fim Manuel Roberto (arq.)

A eleição do líder da Junta Metropolitana do Porto (JMP) deveria ter-se realizado ontem, mas a polémica instalou-se no interior do PSD devido às candidaturas não assumidas de Luís Filipe Menezes e Valentim Loureiro.

Atingiu o seu limite de artigos

A liberdade precisa do jornalismo. Precisa da sua escolha.

Não deixe que as grandes questões da sociedade portuguesa lhe passem ao lado. Registe-se e aceda a mais artigos ou assine e tenha o PÚBLICO todo, com um pagamento mensal. Pense bem, pense Público.

Esta manhã Luís Filipe Menezes deve propor, após a tomada de posse dos membros da JMP, uma votação secreta entre os seis autarcas do PSD para escolher o futuro presidente do órgão. Há rumores de que Valentim Loureiro tem o apoio dos autarcas socialistas.Porque a maioria dos autarcas do Grande Porto são sociais-democratas, cabe a esses presidentes de câmaras laranja a escolha do presidente da Junta Metropolitana. Mas como até ontem as duas candidaturas não foram assumidas, a eleição não foi ontem possível.
Menezes ainda chegou a disponibilizar-se, mas a vitória de Rui Rio nas autárquicas fê-lo recuar, e Valentim Loureiro, presidente da Câmara de Gondomar, não assume a sua candidatura mas fontes que lhe são próximas garantem que a sua intenção é a de ir até ao fim. O que, aliás, Valentim Loureiro terá dito a Menezes numa reunião de várias horas na manhã e tarde de ontem e que colocou os dois nomes em rota de colisão, conta a Lusa.
Tudo foi feito para evitar o adiamento, nomeadamente com uma tentativa infrutífera de conciliação de interesses durante as últimas horas da reunião, onde estiveram presentes quatro dos seis presidentes de câmara do PSD na JMP (Rui Rio pôde apenas participar no início, por poucos minutos, e Macedo Vieira, da Póvoa, está doente). A conclusão foi falta de consenso, sem que, no entanto, qualquer um dos homens fortes tenha assumido a sua posição.
A dúvida que paira é se o presidente da Câmara de Gondomar aceitará a intenção de Menezes de interromper os trabalhos logo após a tomada de posse para uma votação entre os seis autarcas do PSD - o que poderia dar a vitória ao líder distrital.
Isto porque, segundo fontes social-democratas citadas pela Lusa, a candidatura de Valentim Loureiro será suprapartidária, contando com o apoio dos três autarcas do PS e incluindo Mário Almeida como um dos seus dois vice-presidentes.
A ligação aos socialistas foi insinuada pelo próprio Luís Filipe Menezes (que tem uma relação antiga de conflitualidade com o ex-presidente da Associação de Municípios) no final da reunião desta noite, quando afirmou que numa lista sua "nunca aceitaria Mário Almeida, cara do nepotismo do PS".
Fonte socialista contactada pela Lusa garantiu que existe de facto um acordo para que Mário Almeida integre a lista de Valentim Loureiro, especialmente depois de Narciso Miranda ter afirmado, ainda antes das eleições autárquicas, a sua intenção de não se recandidatar à vice-presidência que actualmente ocupa.