Autárquicas

Guterres admite ter cometido erro estratégico nas legislativas de 1999

António Guterres admitiu hoje ter cometido um erro estratégico, ao não ter apelado a uma maioria absoluta do PS nas eleições legislativas de 1999.

Confrontado com a crítica feita por Ferro Rodrigues, durante a sessão em que apresentou a sua candidatura ao cargo de secretário-geral do PS, Guterres reconheceu que "muito provavelmente" cometeu um erro ao não pedir aos portugueses uma maioria absoluta para os socialistas.Nos seus comentários, o secretário-geral cessante do PS preferiu sublinhar a ideia de que a candidatura de Ferro Rodrigues "reúne um amplo consenso no partido" e "tem condições políticas para ganhar as próximas eleições" legislativas.
Quem também manifestou semelhante opinião foi Jorge Coelho, para quem a candidatura de Ferro Rodrigues tem "todas as condições políticas" para provar ao país a importância de os socialistas governarem com maioria absoluta na próxima legislatura, noticiou a Lusa.
Apesar de declarar que irá ajudar Ferro Rodrigues a suceder-lhe no cargo de primeiro-ministro, António Guterres frisou ainda a sua intenção de não interferir na vida política após abandonar a chefia do Governo.
"Não decidi demitir-me para a seguir começar a agitar-me politicamente e atrapalhar quem ficar", disse Guterres, numa referência indirecta à actuação de Cavaco Silva, após ter saído das suas funções de primeiro-ministro.

Sugerir correcção