PSP reage a distúrbios disparando para o ar

Pedrito de Portugal mata touro na praça da Moita

O matador Pedrito de Portugal matou esta noite, durante as festas da Moita, um toiro na arena, um crime que pode ser punido com pena de prisão.

Perante uma terceira lide muito aplaudida, o matador português estocou o toiro, tendo sido fortemente ovacionado pelo público, o que lhe deu direito a cortar as duas orelhas e o rabo do animal. Vários elementos do público, temendo que os efectivos da PSP presentes no local detivessem o matador à saída, entraram na arena impedindo a acção da polícia.
No meio de grande agitação, Pedrito de Portugal acabou por ser transportado em ombros para fora da praça. Perante a situação alguns elementos da PSP dispararam tiros para o ar, gerando algum pânico entre os presentes, mas por essa altura o matador tinha já desaparecido.
Desde que as touradas de morte foram proibidas em Portugal, em 1928, já se registaram alguns casos de mortes de touros em corridas. Em 1985 o matador Mário Coelho foi julgado pela morte de um touro na edição do ano anterior das Festas de Setembro da Moita. Já antes, Armando Soares tinha sido levado a tribunal por duas corridas de morte, em 1975 e 1976, sendo depois indultado. Nos anos 60, o matador Manuel dos Santos matou um touro em arena e saiu do Campo Pequeno sob prisão.