Muita pessoas no aeroporto com destino a férias

Passageiros saem do avião na Portela e recuperam bilhetes (actualização)

Os 146 passageiros que se encontravam esta tarde a bordo de um avião no Aeroporto da Portela, Lisboa, com destino a Nova Iorque, já sairam do aparelho e já recuperaram as bagagens e os seus bilhetes.

Fonte das relações públicas da TAP adiantou ao PUBLICO.PT que 50 passageiros do voo das 14h45 se encontravam em trânsito e os restantes 96 passageiros eram locais e foram informados da situação.A TAP afirmou que está a garantir a viagem de regresso aos passageiros locais que não vivam em Lisboa.
Uma das passageiras locais, de Chaves, Leonilde Rainho, disse ao PUBLICO.PT que estava muito aborrecida com toda a situação, porque vai ter que ficar num hotel sem que a TAP se responsabilize pelas despesas.
Além disso, os passageiros não foram informados de imediato sobre o que estava a acontecer nos EUA, adiantou ainda a passageira.
Apesar de não se notar nenhum aparato especial na Portela, fonte das relações públicas da ANA - Aeroportos e Navegação Aérea - adiantou ao PUBLICO.PT que foram accionadas as "medidas rigorosas de segurança em todos os aeroportos nacionais, ou seja em Lisboa, Porto, Faro, Santa Maria, Horta e Flores".
As "medidas rigorosas", accionadas por determinação do INAC - Instituto Nacional de Aviação Civil -, consistem em não deixar entrar acompanhantes nas aerogares, no controlo rigoroso dos passageiros no embarque e desembarque e no controlo rigoroso com cargas e bagagens.
Há também condicionamento de estacionamento de veículos nos perímetros dos aeroportos.

Leia também

Vinte anos de ataques terroristas a alvos norte-americanos

World Trade Center alvo de atentado terrorista em 1993

Bin Laden: O "inimigo público número um" dos EUA

World Trade Center e Pentágono

  • Amanhã: Edição especial do PÚBLICO sobre o ATAQUE TERRORISTA AOS EUA. A partir do meio-dia nos quiosques

  • Cronologia (hora de Lisboa)

    18h59 – Os governos alemão, russo e espanhol convocam reuniões de urgência na sequência dos ataques terroristas levados a cabo nos Estados Unidos.

    18h43 – Os Estados Unidos da América declaram estado de emergência.

    18h26 – O Canadá fecha os seus aeroportos, apenas recebendo os voos intercontinentais divergidos dos EUA e os aparelhos que peçam para aterrar por razões humanitárias. As fronteiras dos EUA com o México são encerradas.

    18h22 – O centro operacional da CIA é deslocado para parte incerta.

    18h04 – O Presidente George W. Bush, a falar de um local desconhecido, garante que todas as medidas de segurança apropriadas estão a ser tomadas. Bush apela à oração pelas vítimas e ameaça: “Os Estados Unidos vão perseguir e punir os responsáveis por estes actos de cobardia”.

    17h30 – 50 aviões continuam a sobrevoar o espaço aéreo norte-americano, mas nenhum apresenta dificuldades.

    17h15 – Os Serviços de Imigração norte-americanos anunciam que as fronteiras com o Canadá e o México estão em alerta máximo de segurança, mas continuam abertas.

    17h15 – O aeroporto internacional de São Francisco é evacuado. O aeroporto era o destino do voo 77 da American Airlines.

    17h04 – O aeroporto internacional de Los Angeles, destino dos dois aparelhos desviados da American Airlines, é evacuado.

    16h59 – A United Airlines confirma que o voo 175, que ligava Boston a Los Angeles, despenhou-se com os 56 passageiros e nove tripulantes a bordo.

    16h26 – A United Airlines anuncia que o voo 93, que saiu de Newark, Nova Jersey, em direcção a São Francisco, se despenhou na Pensilvânia. A companhia aérea adianta estar “profundamente preocupada” com o voo 175 que tinha partido do aeroporto internacional de Washington.

    16h18 – A American Airlines anuncia ter perdido dois aviões: o voo 11 e o Boeing 757. O primeiro, de Boston para Los Angeles, com 81 passageiros e 11 tripulantes, e o segundo, de Washington também para Los Angeles, com 58 passageiros e seis tripulantes.

    16h02 – O “mayor” de Nova Iorque, Rudy Guiliani, pede aos habitantes da cidade para que fiquem em casa.

    15h54 – Israel evacua todas as suas missões diplomáticas.

    15h48 – A polícia confirma a queda de um avião em Somerset, Pensilvânia.

    15h46 – O secretário de Estado Colin Powell, de viagem à América Latina, regressa aos Estados Unidos.

    15h45 – Todos os edifícios federais em Washington são evacuados.

    15h30 – A torre norte do World Trade Center desaba.

    15h24 - Todos os aviões internacionais no espaço aéreo norte-americano são desviados para o Canadá.

    15h22 – Em Washington, os departamentos de Estado e Justiça são evacuados, bem como o Banco Mundial.

    15h13 – O edifício das Nações Unidas em Nova Iorque é evacuado.

    15h10 – O voo 93 da United Airlines despenha-se em Somerset, Pensilvânia.

    15h08 – Agentes da CIA armados são colocados no Parque Lafayette, em frente à Casa Branca.

    15h05 – A torre sul do World Trade Center desaba.

    14h51 – Todos os voos domésticos são cancelados. Os aviões que estão no ar recebem indicações para aterrarem no aeroporto mais próximo.

    14h45 – A Casa Branca é evacuada.

    14h43 – Outro aparelho atinge o edifício do Pentágono. O edifício começa a ser evacuado de imediato.

    14h39 – O Presidente George W. Bush fala com o vice-presidente Dick Cheney e com o governador de Nova Iorque, George Pataki.

    14h35 – As autoridades de Nova Iorque ordenam o encerramento de todas as pontes e túneis.

    14h06 – Um segundo aparelho, um avião comercial, vai contra a segunda torre do World Trade Center, a Sul, e explode.

    13h48 – Um avião, possivelmente desviado por piratas do ar, embate contra uma das torres, a Norte, do World Trade Center.

    Sugerir correcção