IV Encontro do Comité Mediterrânico de Zonas Húmidas - MedWet/Com4

Portugal apresenta duas zonas húmidas para integrar «Lista de Sítios Ramsar»

A Convenção sobre Zonas Húmidas visa a conservação e o uso racional das zonas húmidas
Foto
A Convenção sobre Zonas Húmidas visa a conservação e o uso racional das zonas húmidas DR

Com dez zonas húmidas na "Lista de Sítios Ramsar", Portugal vai apresentar a candidatura do Paul da Tornada (Caldas da Rainha) e Paul do Taipal (Montemor-o-Velho) no IV Encontro do Comité Mediterrânico de Zonas Húmidas - MedWet/Com4", a realizar-se até quarta-feira em Sesimbra.

"Em Portugal temos mais de 21 por cento do território nacional ambientalmente protegido, em áreas protegidas e classificadas, sendo muitas delas zonas húmidas, e temos planos de ordenamento das albufeiras e da orla costeira", afirmou hoje Pedro Pereira, secretário de Estado da Conservação da Natureza, em Sesimbra, informou a Lusa.Quando aderiu à Convenção sobre Zonas Húmidas - um tratado inter-governamental adoptado a 2 de Fevereiro de 1971, na cidade iraniana de Ramsar, relativo à conservação e ao uso racional de zonas húmidas - Portugal indicou o Estuário do Tejo e Ria Formosa para a "Lista de Sítios Ramsar".
Em 1996, em Brisbane, na Austrália, foram designadas mais oito zonas húmidas em território português - Paul de Arzila, Paul da Madriz, Paul do Boquilobo, Lagoa de Albufeira, Estuário do Sado, Lagoas de Santo André e Sancha, Ria de Alvor, e Sapais de Castro Marim.
"A preservação das zonas húmidas e da biodiversidade faz-se através da criação de regimes jurídicos de protecção ambiental, de planos de ordenamento do território e da integração de políticas sectoriais do ambiente", disse Pedro Silva Pereira, acrescentando que tem sido esta a política seguida pelo Governo português.

Mais de 20 países reunidos

O IV Encontro do Comité Mediterrânico de Zonas Húmidas - MedWet/Com4 é uma iniciativa no âmbito da Convenção sobre Zonas Húmidas e reúne representantes de mais de duas dezenas de países da bacia mediterrânica, sendo que a representação do Governo português está a cargo do Instituto de Conservação da Natureza, organismo do Ministério do Ambiente.Os encontros MedWet (Mediterranean Wetlands) começaram a ganhar forma em 1991, durante a Conferência sobre Gestão de Zonas Húmidas Mediterrânicas e Avifauna Associada Para Além do Ano 2000, realizada em Grado, na Itália, da qual resultou a Declaração de Grado, com o título "Parar e reverter a perda e degradação de Zonas Húmidas Mediterrânicas".
Os encontros MedWet constituem espaços privilegiados para a inventariação, classificação e preservação das zonas húmidas, enquanto zonas fundamentais para a biodiversidade.
Membro do MedWet/Com desde a sua fundação, Portugal tem-se destacado no desenvolvimento de ferramentas e metodologias de inventário e monitorização de zonas húmidas na região mediterrânica.