Instituição quer construir novas instalações em Rio Tinto

Sociedade protectora dos animais do Porto pretende instalar-se em Gondomar

No âmbito das comemorações dos seus 126 anos, a SPA lançou uma campanha de oferta da esterilização dos animais que forem adoptados no canil da Câmara do Porto DR

A Sociedade Protectora dos Animais (SPA) do Porto pretende instalar-se em Gondomar, tendo já entregue naquela autarquia um Pedido de Informação Prévia (PIP) para construir de raiz, em Rio Tinto, instalações modelares ao serviço dos animais.

Em declarações à agência Lusa, Ermelinda Martins, presidente da SPA, adiantou hoje que o terreno em que pretende construir os 300 canis, uma clínica veterinária e um hotel tem cerca de 85 mil metros quadrados, com bons acessos.

A SPA decidiu instalar-se em Gondomar após a Câmara de Gaia ter rejeitado, em Fevereiro, a construção de instalações para os animais na Quinta Fonte da Vinha, disse a responsável.

A SPA está provisoriamente instalada, há já cerca de dois anos, no antigo matadouro do Porto, na sequência de um protocolo que celebrou com a Câmara do Porto no âmbito do Plano de Pormenor das Antas (PPA).

A sociedade teve que ceder a maior parte do espaço que ocupava na zona das Antas para a construção do Estádio do Dragão, tendo ficado reduzida a um pequeno espaço onde mantém em funcionamento a clínica veterinária enquanto não resolve o problema das novas instalações.

De acordo com o protocolo assinado em Novembro 2001 com a Câmara, a SPA deve receber dois terrenos como pagamento pelo espaço que ocupava na zona das Antas, mais um terceiro terreno como indemnização pela mudança, tendo ainda a autarquia assumido o compromisso de construir 300 canis na nova casa da SPA, além das instalações hospitalares para os animais.

O organismo pretende vender os terrenos, com uma capacidade construtiva total de cerca de 11 mil metros quadrados, atribuídos pela autarquia como pagamento para financiar a aquisição do novo espaço onde pretende instalar-se.

Ermelinda Martins revelou que a SPA tem compradores para os três terrenos e que estes "até já estão sinalizados".

"Só ainda não recebemos mais porque os compradores recusam-se a adiantar verbas enquanto os terrenos não estiverem registados em nosso nome", acrescentou.

Contactada pela Lusa, fonte da autarquia referiu que o atraso na entrega dos terrenos à SPA deve-se a um problema burocrático, que reside na dificuldade do Instituto de Estradas de Portugal em identificar a parcela de terreno por forma a permitir o seu registo.

A SPA, que este mês comemora 126 anos, alberga actualmente 1067 cães e 140 gatos, e não dá casa a mais animais, segundo Ermelinda Martins, por "falta de espaço e de boas condições para os acolher".

"Neste momento só recebemos animais atropelados e feridos", afirmou à Lusa Pedro Faria, da SPA, lamentando o facto de os cães não receberem luz directa no antigo matadouro.

No âmbito das comemorações dos seus 126 anos, a SPA lançou uma campanha de oferta de esterilização dos animais que forem adoptados no canil da Câmara do Porto.

Com esta campanha, disse Pedro Faria, "queremos aumentar o número de adopções de animais que estão no canil".

"Consideramos que a esterilização é uma mais valia, pois poderá fazer com que a população adopte mais animais", disse, referindo que cada esterilização custa habitualmente entre 75 e os 90 euros.

Em 2003, cerca de 300 animais (cães e gatos) foram adoptados no canil municipal.

A SPA foi fundada em 30 de Maio de 1878, tendo sido abrangida pela lei de Declaração de Utilidade Publica em 1914.

Foi em 1969 que o benemérito José Maria Nascimento Cordeiro concretizou o sonho de tantas gerações, ao doar a Quinta das Tílias à instituição, o que permitiu criar um pavilhão clínico e dar abrigo aos animais que vadiavam pelas ruas do Porto.

Entre 1970 e 1974, a SPA construiu cem canis e deu protecção a 300 animais.

Por ocasião das comemorações dos seus 25 anos, foram inaugurados dois fontanários - Batalha e Praça Carlos Alberto - que tinham a particularidade de ter duas taças: a superior destinava-se aos cavalos e a inferior aos cães.

O rei D. Manuel II foi uma das personalidades que esteve presente nas comemorações dos 31 anos da Sociedade Protectora dos Animais do Porto.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues