No encerramento da Festa da Democracia , líder socialista aponta contrariedades ao primeiro-ministro. "Há um mês o Governo dizia que tinha os cofres cheios e agora o que vem dizer é que, afinal, precisa de nova dose de austeridade, porque os cofres estão cheios de dívida"

  • No encerramento da Festa da Democracia , líder socialista aponta contrariedades ao primeiro-ministro. "Há um mês o Governo dizia que tinha os cofres cheios e agora o que vem dizer é que, afinal, precisa de nova dose de austeridade, porque os cofres estão cheios de dívida"

  • O secretário-geral do PS, António Costa, quer fazer das eleições legislativas deste ano “uma grande festa da democracia, como aconteceu há 40 anos, com uma grande participação cívica dos cidadãos para a afirmação de uma alternativa, devolvendo a esperança e a confiança aos portugueses”. “Isso é absolutamente decisivo", declarou o candidato ao PS a primeiro-ministro.

  • 1 — Lá pelo meio da sua longa apresentação do Programa de Estabilidade, a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, deixou um sério aviso à navegação da campanha eleitoral que se aproxima: “Com este Governo os portugueses sabem com o que contam, o que já nos põe numa posição mais confortável do que a do maior partido da oposição, do qual não sabemos nada”, disse a ministra. Bem se sabe que a apresentação do programa até ao final de Abril é uma imposição europeia, mas o modo como o Governo o embrulhou num discurso com forte carga política é revelador do seu profissionalismo e determinação. O que ali está transcrito é, mais do que um simples acervo de medidas para cumprir as regras europeias, um programa eleitoral. Que, como convém aos programas eleitorais, diz o que pode e deve ser dito e omite o que não se deve dizer. Maria Luís Albuquerque, sem dúvida uma das estrelas do Governo, fê-lo com uma enorme competência.

  • O almirante Melo Gomes preside ao Grupo de Reflexão Estratégica Independente (GREI), que entregou esta semana a sua carta de apresentação às chefias militares. Criado formalmente no início do ano por um grupo de oficiais generais na reforma, pretende debater o país ao longo dos próximos meses. A título pessoal, Melo Gomes faz o retrato do país e do actual Governo, onde não vê “mundo” mas apenas muita teoria. E demasiado centrada na “escola de Chicago”. Assume a sua preferência pela alternativa António Costa, a quem recomenda que seja capaz de evitar os conselheiros que lhe tentem limitar as propostas, tal como fez Roosevelt para lançar o New Deal.

  • A Câmara tem despejado centenas de pessoas sem alternativas habitacionais, demolindo em nome de um realojamento inexistente.

  • Em 1971, fez-se um dos melhores alunos de sempre do Técnico. Já era Prémio Nacional dos Liceus em 1965. Cinquenta anos depois, tenta ganhar o Prémio Nacional dos Políticos Acima da Reles Política Caseira. Guterres, secretário-geral do PS entre 1992 e 2002, ainda poderá vir a ser alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados Candidatos a Presidente da República. Se souber fazer as contas.