O sms que António Costa enviou no sábado aos militantes do PS nas suas poucas palavras é um tratado de política. Com a detenção do ex-secretário-geral e ex-primeiro-ministro, José Sócrates, na noite de sexta-feira, exactamente na noite do primeiro dia de dois dias de eleições directas onde António Costa foi o único candidato a líder dos socialistas, o PS ficou em estado de choque.

  • O sms que António Costa enviou no sábado aos militantes do PS nas suas poucas palavras é um tratado de política. Com a detenção do ex-secretário-geral e ex-primeiro-ministro, José Sócrates, na noite de sexta-feira, exactamente na noite do primeiro dia de dois dias de eleições directas onde António Costa foi o único candidato a líder dos socialistas, o PS ficou em estado de choque.

  • A vida académica e política de José Sócrates, sobretudo os seis anos em que esteve à frente de dois governos (o primeiro com maioria absoluta), foi ensombrada por imensas polémicas, que regressam agora com a sua detenção à saída de um avião que o trouxe de Paris, a capital europeia que escolheu para viver depois de ter perdido para o PSD as eleições legislativas de 2011.

  • José Sócrates foi detido. É inédita em Portugal a detenção de um ex-primeiro-ministro. E agora?

  • O ex-primeiro-ministro nunca tinha sido detido pela Justiça, mas o seu nome já esteve associado a outros processos judiciais.

  • António Costa enviou um SMS aos militantes do PS em que separa "os sentimentos de solidariedade e amizade pessoais" da apreciação de um processo" que "só à Justiça cabe conduzir"