Governo lança Agenda Digital com 2,5 mil milhões de euros

Uma rede de banda larga de nova geração de acesso universal, um sistema simplificado de licenciamento comercial, um Tutor Virtual da Matemática, um registo de saúde electrónico e um cartão de transportes universal. Estas são algumas das mais importantes medidas da Agenda Digital, um novo programa no âmbito do Plano Tecnológico que o Governo vai apresentar na próxima quarta-feira, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.

O investimento previsto é na ordem dos 2,5 mil milhões de euros por ano, até 2012, mas, pelas contas do Ministério da Economia, a sua concretização irá gerar anualmente um crescimento de 3000 milhões (1,8 por cento do PIB) e criará 15 mil a 20 mil empregos qualificados. A terceira vantagem é a pegada ecológica: calcula-se que deverão reduzir-se 1,4 milhões de toneladas de emissões de CO2.

Tudo começa com a criação de uma infra-estrutura com cobertura nacional para oferta de grande largura de banda disponível para o utilizador, sobre a qual se desenvolvem serviços de valor acrescentado nas áreas da governação, educação, saúde e mobilidade. A implementação dessa mega-rede implicará o desenvolvimento de empresas de serviços e produtos avançados na área das tecnologias de informação, comunicação e electrónica que ficarão com alavanca suficiente para se internacionalizarem.

No capítulo da saúde de proximidade, o Agenda Digital permitirá a criação do registo electrónico de saúde para a totalidade da população, de serviços de tele-saúde para idosos e doentes crónicos, e de uma plataforma onde os utentes poderão marcar consultas e aceder a alguns documentos pessoais de saúde. Os centros de saúde e hospitais passarão a ter redes com maior capacidade e será possível transmitir informação clínica para as unidades a partir do local de intervenção (num acidente, por exemplo).

Para a educação está prevista a disponibilização on-line de conteúdos educativos de todas as áreas disciplinares (com especial destaque para a CiberEscola da Língua Portuguesa), os alunos podem passar a fazer as matrículas e pedir certificados pela Internet, e será criada uma plataforma de apoio específico ao ensino da matemática com cadernos de exercícios virtuais.

No campo da mobilidade, ficarão em linha sistemas de gestão de tráfego e de partilha de automóvel e o passe Portugal Total, que poderá ser usado em todos os sistemas de transportes colectivos e no programa de mobilidade eléctrica. Serão ainda alargados serviços como os disponíveis no Simplex para as empresas, como o licenciamento comercial.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues