Pedro Passos Coelho

Todos os tópicos

No Chão da Lagoa, o líder nacional do PSD culpou mais uma vez António Costa da desconfiança europeia que pode levar a sanções pelo défice excessivo no período em que governava. Mesmo sem Jardim, a militância madeirense esteve em júbilo. Partidos

  • No Chão da Lagoa, o líder nacional do PSD culpou mais uma vez António Costa da desconfiança europeia que pode levar a sanções pelo défice excessivo no período em que governava. Mesmo sem Jardim, a militância madeirense esteve em júbilo. Partidos

  • O líder social-democrata marcou presença este domingo no Chão da Lagoa. Passos subiu ao palco da festa anual do PSD-Madeira para responsabilizar o Governo pelas sanções que possam ser aplicadas ao país, e dar a Madeira como exemplo de que se pode ter crescimento económico mantendo o rumo.

  • Presidente da República desvaloriza aumento da crispação política, afirmando que é habitual em todos os meses de Julho.

  • Da festa saíram pedidos de independência, considerações sobre os investimentos chineses em Portugal, um “pontapé no traseiro” do primeiro-ministro António Guterres ou um “submarino” para Paulo Portas.

  • “Quase tudo era novo, quase tudo era um começo sem precedentes”, recordou Rui Vilar, ex-ministro dos Transportes e Comunicações, referindo-se aos primeiros passos. A discussão da moção de confiança que levaria à queda do executivo foi no dia em que o primeiro-ministro fazia 53 anos.

  • Se a culpa por eventuais sanções fosse da União Europeia, seria preciso culpar os socialistas europeus, que estão em maioria entre os ministros das Finanças, diz líder do PSD.

  • Pedro Duarte, 43 anos, ex-deputado, secretário de Estado, director de corporate affairs da Microsoft desde 2011, fala ao PÚBLICO a pretexto do 42º aniversário da JSD, que liderou de1998 a 2002. E fala de memórias, do futuro e e da inquietude que o faz manter um pé na política.

  • Não tenho a menor dúvida de que BES e Caixa tenham sido assaltados por gente da pior espécie, mas entre essa gente não está Coelho, Albuquerque, Costa ou Centeno.

  • Primeiro-ministro reage à dramatização que Passos Coelho ensaiou numa reunião com deputados do PSD e na qual disse que "em Setembro vem aí o diabo".