Pensa noutra coisa

Agora deu-nos para deambular. Estamos a fazer uma dieta de pensar noutras coisas e não há nada como a desorientação para distrair a cabeça. Nos lugares familiares, onde nos sentimos em casa, as preocupações sentam-se à mesa connosco. Nos lugares há muito não visitados ou novos ficamos mais sozinhos, porque a estranheza ou a angústia do regresso nos distrai.

Não sabemos para aonde vamos, mas saímos de casa e paramos quando nos apetece. No sábado descobrimos um restaurante punjabi em São João do Estoril que quase toda a população de bom gosto já descobriu e frequenta vai para um quarto de século. Chama-se Taj - A Palhota e os donos e empregados são sikhs do Punjab, no Noroeste da Índia. É uma religião que se recomenda, sendo respeitadora das outras e um povo com uma cultura de generosidade, valentia e bom-garfismo. Temos a sorte de ter uma comunidade sikh em Odivelas: façamos um apontamento mental para explorá-la. Simpatizam: embora eles, da nossa cozinha, sinceramente, só gostem do frango assado.

Muitos restaurantes indianos em Portugal perdem um bocadinho a identidade para agradar ao cliente português, que pensa que a Índia é um país com uma só cozinha e que Goa contribuiu muito para ela. A Índia é um mundo quase tão grande como o mundo: só não é maior porque tem mais que fazer.

Na Palhota come-se bem até dizer chega. É bom, barato, familiar e um assalto aos sentidos. Um restaurante restaura. A Palhota (214671505) restitui.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues