Mar à minha frente

Tenho andado órfão de autores de obra completa, de livro avulso em avulso, rara e rapidamente satisfeito.

Foi com alívio que embarquei na série de 20 romances de Patrick O"Brian em que se contam as aventuras de dois amigos ao serviço da Royal Navy durante as guerras napoleónicas: o comandante Jack Aubrey e o médico, espião e estudioso Stephen Maturin.

Estou quase no fim do primeiro volume - Master and Commander (publicado em 1969) - e já estou viciado. Mesmo desconhecendo o sentido de uma palavra em cada dez. O que vale é que amanhã chegarão dois livros de apoio que esclarecerão os vários vocabulários náuticos do século XIX.

Já estou habituado a fazer em público a figura só aparentemente triste de estar a ler do Kindle (K) com livros pesados à mão. Pouso o K, vou ver uma coisa a um livro e retomo o K. É bom. Coexiste-se.

É que é muito difícil ir ver uma coisa a um ebook que esteja num K. Leva muito tempo a encontrá-la e mais tempo ainda à procura do que se queria. Quanto ao dicionário do K, que dizem basear-se no Oxford English Dictionary (OED), deixem-me rir. O vocabulário de O"Brian raramente encontra eco nele. Seria preciso ter o caro OEDonline para dar resposta imediata e leve. A versão impressa é pouco portátil. Embora O"Brian tenha alegremente abusado dele.

Porque não consigo esperar até amanhã? É que a prosa é tão salgada e excitante que se vai em frente, saltando por cima do que não se entende. É bom sinal.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues