• Secretário da Defesa dos EUA avisa que um ataque norte-coreano com um míssil contra a América “pode escalar para uma guerra muito depressa”.

  • A Coreia do Norte adora proferir dantescos avisos ameaçadores. O mundo fica atemorizado. Pelo contrário, outros, que se movem na sombra, não avisarão.

  • Nos últimos dias, deram-se conta de várias “fúrias”, que a psiquiatria define “como designação genérica dos estados de brusca exaltação, em geral colérica, com violentas exteriorizações verbais”. Donald Trump e Kim Jong-un protagonizaram algumas

  • Sistema PAC-3 foi colocado em Shimane, Hiroshima, Kochi e Ehime, por onde passariam eventuais mísseis disparados pela Coreia do Norte.

  • Líder chinês falou pela primeira vez com Trump desde que estalou a troca de ameaças entre os EUA e a Coreia do Norte.

  • Lei norte-americana prevê que o Presidente não precisa do acordo dos seus assessores militares ou do Congresso dos EUA para ordenar ataques nucleares. Assessores políticos ou militares não poderiam impedi-lo.

  • Abastecimento de material médico de emergência, procura de pontos de protecção e refúgio ou isolamento em caso de ataque químico são alguns dos alertas.

  • Quanto mais o programa nuclear norte-coreano se desenvolver, mais difícil será conseguir cedências da parte de Pyongyang, alerta a analista Jenny Town, em entrevista ao PÚBLICO.