FC Porto

Villas-Boas: "Jamor é um estádio emblemático mas a cair de velho"

Villas-Boas alerta para os perigos do Vitória DR

O treinador do FC Porto alertou para as dificuldades que a sua equipa vai encontrar frente ao Vitória de Guimarães, rejeitando qualquer favoritismo dos “dragões” na final da Taça de Portugal. Beto será o dono da baliza.

Fiel ao seu discurso, André Villas-Boas disse confiar na competência dos “dragões” face à “extrema motivação que os jogadores do Vitória de Guimarães apresentarão”, domingo, no Estádio Nacional.

Apesar de já ter conquistado três títulos esta época (Campeonato, Liga Europa e Supertaça), o treinador portista voltou a recusar o estatuto de favorito.

“Não atribuo a isso grande importância, até pelo exemplo de Dublin, em que todos diziam que éramos nós os favoritos e foi um jogo equilibrado, com quase as mesmas oportunidades de golo para ambas as equipas, que felizmente ganhámos”, frisou o técnico, em conferência de imprensa.

Villas-Boas reconheceu que o Vitória de Guimarães “não quererá desperdiçar a oportunidade de conquistar um troféu que perdeu para o FC Porto”, na final de 1987-88 por 1-0, e garantiu a motivação do plantel, na fase final de uma época histórica.

“Não podemos pensar assim, pois cairemos por terra. Não podemos entrar em campo a pensar que foi uma época grandiosa e, por isso, darmo-nos por satisfeitos”, advertiu, apontando como inspiração o jogo da segunda mão da meia-final da Taça, em que o FC Porto venceu o Benfica por 3-1, no Estádio da Luz, em Lisboa.

O FC Porto apenas realizou um treino para preparar a final com o Vitória de Guimarães, que estagiou durante a semana em Quiaios, sem que isso preocupe Villas-Boas.

“Nós não pudemos devido à final da Liga Europa e dos festejos, pelo que achámos conveniente dar dois dias de folga à equipa, já que os jogos e o impacto emocional da festa tiveram que ser equacionados”, sublinhou.

O treinador do FC Porto recordou o empate cedido pelos “dragões” no terreno dos vimaranenses e as “grandes dificuldades” criadas pelos comandados de Manuel Machado, na visita ao Estádio do Dragão.

“É uma equipa que tem muita iniciativa, que também tem jogo de posse, feito por bons jogadores, alguns deles que regressaram (por razões várias) ao ‘onze’ com muita motivação e têm este grande objectivo pela frente”, referiu.

Atestando o “sentimento especial” do “histórico” Jamor, pelas “finais acumuladas”, Villas-Boas admitiu que “é um estádio sem as condições máximas de segurança e conforto”.

“O Estádio de Wembley também é um histórico palco, mas transformou-se, ao contrário do Jamor, que é um estádio emblemático, mas a cair de velho”, concluiu.

Beto titular

Em relação à equipa que começará o encontro, Villas-Boas confirmou a titularidade de Beto. O internacional português vai alinhar na terceira final dos “azuis e brancos” da época, depois de Helton ter jogado nos jogos decisivos da Supertaça Cândido de Oliveira e da Liga Europa. “Temos a máxima confiança nos três guarda-redes do plantel”, assegurou Villas-Boas, para quem Beto é “um dos grandes jogadores portugueses”.

O técnico dos “dragões” explicou ainda as lesões de Falcao e Otamendi, os dois grandes ausentes da lista de convocados para o encontro no Jamor: “Falcao sofreu uma forte pancada no joelho e resolvemos não arriscar, enquanto Otamendi tem uma contusão nas costas, tendo terminado o jogo de Dublin com muitas dores”.

O FC Porto pode conquistar o quarto troféu da época, depois das vitórias no campeonato, Liga Europa e Supertaça, no domingo com o Vitória de Guimarães a final da Taça de Portugal, em jogo marcado para as 17h, que será arbitrado por João Ferreira, de Setúbal.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.