Futebol

Melhor registo de golos do que o actual Benfica só na época 1972/73

Saviola marcou frente ao Nacional mais dois golos na Liga Hugo Correia / Reuters

O Benfica apresenta o melhor registo de golos (30) a abrir a Liga portuguesa de futebol desde a época 1972/73, na qual somava 35 após oito jogos, mais cinco do que conta o “onze” de Jorge Jesus.

Depois dessa longínqua temporada, já com quase quatro décadas, o clube da Luz apenas se aproximara das três dezenas em 1975/76 (29) e só por mais quatro vezes tinha superado as duas (23 em 1979/80 e 89/90, 22 em 85/86 e 21 em 83/84).

A época do penúltimo título “encarnado” (1993/94) é a derradeira com 20 golos após os oito jogos iniciais: desde então, o máximo pertencia a 2006/2007, com 18 golos.

Os números são claros e indicam que o actual Benfica só perde, em 40 anos, para o “onze” liderado pelo inglês Jimmy Hagan, que viria a sagrar-se em 1972/73 o único campeão invicto do futebol português (28 triunfos e dois empates).

O Benfica abriu logo como uma goleada (6-0 ao Leixões) e marcou pelo menos três tentos nos seis jogos que se seguiram (3-1 no Bessa, 9-0 ao Beira-Mar, 4-0 no reduto do União de Coimbra, 4-1 ao Sporting, 3-0 no Barreiro e 5-0 ao Belenenses), até se ficar por um no Bonfim (1-0).

Três épocas depois, em 1975/76, e com o “velho capitão” Mário Wilson ao leme, os “encarnados” começaram a zero (“nulo” com o Boavista, na Luz), mas não mais marcaram menos do que dois até novo 0-0, à 10ª ronda, em Braga.

Nené deu o mote, com um “bis” em Tomar (2-0), seguindo-se o Leixões (9-1), o Académico (4-2 em Coimbra), o Beira-Mar (5-0), um desaire no Restelo (2-4), o Atlético (3-0), o Farense (4-1 em Faro) e o Estoril (7-1).

Na presente temporada, o Benfica está a fazer ainda melhor do que em 1975/76, apesar de também não ter entrado de forma demolidora (1-1 com o Marítimo e 1-0 em Guimarães).

Depois disso, tem estado, porém, imparável: 8-1 ao Vitória de Setúbal, 4-0 no Restelo, um mais modesto 2-1 em Leiria, 5-0 ao Leixões, 3-1 em Paços de Ferreira e, segunda-feira, 6-1 ao Nacional... são já 30 golos.

Em termos individuais, o paraguaio Óscar Cardozo é o “rei”, do Benfica e do campeonato, com 11 golos, seguido pelo brasileiro Ramires e o argentino Saviola, ambos com quatro.

David Luiz, Javi Garcia e Nuno Gomos, todos com dois golos, e Weldon, Maxi Pereira, Carlos Martins, Luisão, Pablo Aimar são os outros jogadores que contribuíram para as três dezenas do conjunto comandado por Jorge Jesus.

A veia goleadora do Benfica não se limita, porém, ao campeonato: 4-0 Vorskla Poltava e, quinta-feira, um histórico 5-0 ao Everton, na Liga Europa, e 6-0 face ao “terciário” Monsanto, no único encontro disputado na Taça de Portugal.

No total, os “encarnados” contabilizam já 48 golos marcados, em 14 jogos oficiais, uma média de 3,4 por encontro.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.