Acidente com Boeing 777 no aeroporto de São Francisco faz dois mortos e mais de 180 feridos

Vítimas são duas adolescentes chinesas. Primeiro caso fatal num Boeing 777. Avião pertence à companhia Asiana Airlines, da Coreia do Sul, e transportava mais de 300 passageiros e tripulantes.

Duas pessoas morreram neste sábado durante um acidente de um avião da companhia Asiana Airlines, da Coreia do Sul, que se despenhou na aterragem no aeroporto internacional de São Francisco, nos Estados Unidos. A maioria das mais de 300 pessoas que seguiam a bordo foram retiradas em segurança, enquanto os bombeiros tentavam extinguir o incêndio. O acidente provocou pelo menos 180 feridos, alguns dos quais estão em estado crítico.

O Boeing 777 da Asiana Airlines partiu de Seul, capital da Coreia do Sul, e despenhou-se durante a aterragem em São Francisco. As imagens partilhadas nas redes sociais por testemunhas e passageiros mostram que o avião perdeu a parte traseira e que o fogo consumiu as partes central e frontal.

Choi Jeong-ho, do Ministério dos Transportes da Coreia do Sul, já confirmou que a cauda do avião embateu na pista, levando o aparelho a desviar-se para a esquerda e a sair da pista.

No avião seguiam 291 passageiros e 16 pessoas da tripulação. A bordo estavam 141 chineses (muitos deles estudantes que iam participar num campo de férias), 77 sul-coreanos, 61 norte-americanos e um japonês. A nacionalidade dos restantes passageiros não foi revelada.

As duas vítimas mortais são duas adolescentes chinesas, nascidas em 1997 e 1996, avançou o Ministério dos Transportes da Coreia do Sul. Ambas iam sentadas na parte traseira do avião, revelou o presidente da Asiana, garantindo, por outro lado, que este Boeing 777 não apresentou qualquer problema mecânico antes do acidente.

Dale Carnes, chefe adjunto dos bombeiros de São Francisco, revelou que, além de dois mortos, 49 pessoas foram transportadas para os hospitais com ferimentos graves. Outras 132 pessoas também necessitaram de tratamento hospitalar, mas com lesões médias ou de pouca gravidade.

Cinco pessoas estão internadas em estado crítico no Hospital de São Francisco e três outras também em estado crítico no Hospital de Stanford, avança a Reuters.

Este acidente é o primeiro com vítimas mortais envolvendo o Boeing 777, um popular avião de longo curso que opera desde 1995, e o terceiro acidente fatal da companhia coreana, criada em 1988. Nos Estados Unidos, o último acidente com mortos em voos comerciais tinha ocorrido em 2009, quando um avião regional da Colgan Air se despenhou em Nova Iorque.

Primeiras informações no Twitter
Um dos primeiros vídeos a ser partilhado mostrava uma coluna de fumo ao longe, numa das pistas do aeroporto. Muitos outros vídeos e fotografias têm sido partilhados no Twitter, e noutras redes, com relatos de testemunhas e passageiros.

Um dos passageiros era David Eun, um dos vice-presidentes da Samsung, que partilhou uma fotografia do avião e fez saber que a maioria dos passageiros "parece estar bem".

Ki Siadatan, que testemunhou o acidente a partir de sua casa, explicou que o avião, ao descer, “parecia fora de controlo”, disse à BBC News. “Ouvimos uma explosão e vimos o avião desaparecer numa nuvem de poeira e fumo. Depois, aconteceu a segunda explosão.”

“Demasiado baixo, demasiado depressa”
Numa altura em que decorrem investigações sobre as causas do acidente, um passageiro disse à NBC que o avião voava demasiado baixo. “Conheço bastante bem o aeroporto, por isso percebi que o piloto ia demasiado baixo, demasiado depressa e que não ia conseguir aterrar na pista a tempo. Ele acelerou e tentou subir outra vez”, contou Benjamin Levy. “Mas era demasiado tarde e tocou mal na pista. Depois começámos todos a ir pelos ares e o avião aterrou muito mal.”

Benjamin Levy saiu por uma porta de emergência, tal como muitos outros passageiros. “Quando saímos havia algum fumo, mas não chamas. O incêndio só aconteceu depois.”

“É incrível e [temos] muita sorte por haver tantos sobreviventes”, resumiu Ed Lee, o mayor de São Francisco.

Investigação em curso
A National Transportation Safety Board e a Federal Aviation Administration já enviaram peritos para São Francisco para investigarem as causas deste acidente.

A Asiana já revelou que o piloto do avião era Lee Jeong-min, um veterano na companhia. Era um dos quatro pilotos que rodavam em turnos de duas pessoas neste voo de dez horas.

Um porta-voz do aeroporto de São Francisco revelou que um dos instrumentos do sistema de aterragem do aeroporto não estava operacional no sábado. Mas, segundo a Reuters, pilotos e peritos em aviação garantem que essa funcionalidade de apoio à aterragem está longe de ser essencial quando está bom tempo, como era o caso de sábado em São Francisco.

O aeroporto de São Francisco esteve encerrado durante várias horas, obrigando ao desvio de voos para Los Angeles, Seattle, Oakland e San Jose.
 

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.