As paredes de Camilla não têm ouvidos, têm memória

Camilla Watson, uma fotógrafa britânica, mudou-se para Portugal há cerca de dez anos. Na Mouraria de então, encontrou uma zona ainda degradada e envelhecida. “Vi uma ligação entre os moradores e as paredes: para mim, eles envelheceram juntos. O carácter deste bairro foi criado por eles”, conta Camilla. Para a fotógrafa, as pessoas eram a alma da Mouraria e mereciam ser homenageadas: “surgiu então a ideia de imprimir as suas caras nas paredes” das casas que habitavam.

Desde então, muita coisa mudou no bairro da Mouraria. Hoje são muitos os turistas que por ali passam e alguns dos moradores retratados já nem estão presentes, mas, graças a Camilla, as paredes da Mouraria não os esqueceram. 

Veja mais vídeos PÚBLICO 360º.

Comentários

Comentar

Caracteres restantes: