Televisão

“Laços de Sangue” vence segundo Emmy para Portugal

Guilherme Bokel, da Globo, e Luís Marques, da SIC Foto: Jessica Rinaldi/Reuters

A co-produção da SIC e da TV Globo “Laços de Sangue” conquistou, em Nova Iorque, nos Estados Unidos, o Emmy de melhor telenovela. Esta é a segunda vez que a ficção nacional e a televisão portuguesa recebem uma distinção internacional.

A telenovela da SIC, cujo último episódio foi para o ar em Outubro e que teve um milhão e meio de espectadores, juntou no pequeno ecrã nomes como Diana Chaves, Diogo Morgado, Joana Santos, Lia Gama, Custódia Gallego e João Ricardo, foi nomeada na categoria de Melhor Novela Internacional, vencendo as concorrentes "Araguaia" (Brasil), também uma produção da TV Globo, "Contra las Cuerdas" (Argentina), e "Precious Hearts Romances presents: Impostor" (Filipinas).

A produção nacional, com direcção de argumento de Pedro Lopes da SP Televisão e coordenação de Aguinaldo Silva da TV Globo, conta a história de duas irmãs (Diana Chaves e Joana Santos) separadas na infância depois de um trágico acidente e que se voltam a encontrar anos mais tarde, envolvendo-se num triângulo amoroso, marcado pelos planos de vingança da irmã que em pequena acabou por ser adoptada e afastada da sua família biológica.

"'Laços de Sangue’ é uma história fortemente enraizada na realidade portuguesa, de dramas e conflitos próprios de uma sociedade contemporânea, mas onde o amor continua a ter papel central na vida de qualquer um. Uma novela de mulheres de armas, que, contra todas as contrariedades, decidiram arregaçar as mangas e lutar pelo sonho em que acreditam", pode-se ler na apresentação da novela.

Na edição dos Emmys deste ano, o Brasil era o país com mais nomeações (sete) mas acabou por sair da cerimónia sem nenhuma estatueta, tendo sido o Reino Unido o grande vencedor da noite ao arrecadar cinco prémios, incluindo o de melhor actriz para Julie Walters e melhor actor para Christopher Eccleston. A série "Accused", que retrata as histórias de suspeitos acusados de crimes que aguardam julgamento em prisão, venceu na categoria de melhor drama, enquanto o programa britânico “The World’s Strictest Parents”, da Twenty Television, foi considerado o melhor programa de entretenimento sem guião e "Gareth Malone Goes to Glyndebourne", o melhor programa com guião.

A par de Portugal, com um galardão cada esteve a Bélgica (Melhor Comédia para "Benidorm Bastards"), o Canadá (Melhor Documentário com "Life with murder" e a Suécia (Melhor Minissérie ou Telefilme para "Millennium"), destacando-se ainda o programa chileno “Con qué sueñas?”, da cadeia TVN, considerado o melhor programa infantil e juvenil, e que conquistou o primeiro Emmy para o Chile.

Em 2010, a telenovela portuguesa da TVI "Meu Amor", uma produção da Plural Portugal, escrita por António Barreira, protagonizada por Rita Pereira, Margarida Marinho e Alexandra Lencastre, fez história na televisão ao arrecadar o primeiro Emmy para Portugal, também na categoria de Melhor Telenovela.

A 39ª edição dos Emmys internacionais, atribuídos pela Academia Internacional das Artes e Ciências da Televisão dos Estados Unidos e que premeiam o que de melhor se faz nas televisões de todo o mundo, excluindo as americanas, que têm um evento exclusivamente dedicado às suas produções, foi apresentada por Jason Prestley e contou com a presença de Lady Gaga.

Notícia actualizada às 10h12

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.