Madeira gasta dois milhões nas iluminações e no fogo-de-artifício

Em Lisboa e no Porto, as iluminações natalícias vão custar 250 e 120 mil euros, respectivamente. Na Madeira orçam em 1,2 milhões.

Fornecimento e queima de fogo-de-artifício custarão 754 mil euros Reuters

O Governo Regional da Madeira vai gastar cerca de dois milhões de euros nas iluminações decorativas de Natal e na queima de fogo-de-artifício da passagem de ano.

 As iluminações têm um custo de 1,2 milhões de euros, e o fornecimento e a queima de fogo-de-artifício nas festas do réveillon 754 mil euros. Uma portaria conjunta das secretarias do Turismo e das Finanças, publicada no Jornal Oficial de 19 de Novembro, reparte os encargos com o fogo pelos orçamentos de 2012 e 2013, remetendo para o do próximo ano a quase totalidade (739 mil) desta despesa.

O Governo madeirense lançou um concurso para a adjudicação das iluminações decorativas das festas de Natal e de passagem de ano para 2013 e para 2014 e das festas de Carnaval dos próximos dois anos, com o valor-base de 3,8 milhões. Como nos anos anteriores, foi seleccionada a empresa Luzosfera, que concorreu com uma proposta de 2,6 milhões de euros. A proposta de preço mais baixo, que foi apresentada pela Som-ao-Vivo, também madeirense, era de 2,27 milhões, tendo sido candidato um terceiro concorrente, a continental Iluminações Teixeira Couto /AMG – Instalações Eléctricas, com o valor-base do concurso.

A empresa Som-ao-Vivo, concorrente preterido apesar de ter apresentado a proposta mais barata, anunciou que vai mover um processo judicial contra o júri da Secretaria Regional do Turismo, por alegado favorecimento na atribuição da empreitada à Luzosfera, do grupo SIRAM, que mantém intocável a sua hegemonia há quase três décadas. No ano passado, o concurso foi anulado pelo Tribunal de Contas, mas a empreitada foi concedida à mesma empresa por ajuste directo.

A Câmara de Lisboa prevê gastar 250 mil euros em iluminações de Natal nas artérias da Baixa pombalina, ou seja, cerca do 20% do que o Funchal vai gastar. Através de um protocolo de cooperação para dinamizar o comércio na quadra natalícia, o município lisboeta vai pagar à União de Associações de Comércio e Serviços 250 mil euros para iluminar as principais ruas até ao Dia de Reis. No ano passado investiu 150 mil e em 2010 cerca de 700 mil euros. 

A crise no comércio tradicional na cidade do Porto levou também a câmara e a associação de comerciantes a aumentarem em 20% o investimento nas luzes e animação de Natal. O investimento em 2011 rondou os 100 mil euros e este ano aumentou para os 120 mil, passando também de uma cobertura de sete para 25 ruas em termos de iluminação, anunciou Vladimiro Feliz, vice-presidente da câmara.
 
 
 
 
 
 
 
 

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues