Casa da Música bate Torre dos Clérigos e já é a preferida dos turistas no Porto

Preferência pela Casa da Música confirma procura de turismo cultural, acredita o presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal Paulo Pimenta

Num estudo realizado para a Fundação de Serralves pela Porto Business School, 350 turistas colocam o edifício de Rem Koolhaas no topo de uma lista, na qual os shoppings surgem em 5.º lugar

Os turistas que visitam a cidade do Porto colocam, no topo da lista dos locais a visitar, a Casa da Música, do arquitecto holandês Rem Koolhaas. O edifício da Porto 2001 - Capital Europeia da Cultura ultrapassa a Torre dos Clérigos ou as caves do vinho do Porto, de acordo com os resultados de um estudo realizado pela Fundação de Serralves. A fundação, projecto do arquitecto português Álvaro Siza Vieira, ocupa o quarto lugar na lista.

Os resultados constam do capítulo A Fundação de Serralves como pólo de atracção turística do estudo Impacto Económico da Fundação de Serralves, realizado pela Porto Business School. O top 5 das atracções turísticas do Porto foi construído através de um inquérito a 350 turistas, nacionais e estrangeiros, e, a julgar pelos dados obtidos, a imagem que o Porto hoje projecta vai para lá do centro histórico que, em 1996, lhe garantiu o galardão da Unesco de Património Mundial da Humanidade.

Na lista de 23 locais previamente definidos e que os turistas já tinham visitado, ou pretendiam visitar, estão a Sé Catedral (6.º lugar), o Palácio da Bolsa (8.º), a Igreja de São Francisco (11.º) ou a Ribeira (12.º), símbolos do centro histórico, mas estão também muitos outros espaços que remetem para um Porto diferente, de modernidade e consumo.

O resultado mais surpreendente talvez seja o facto de o item "centros comerciais" surgir na 5.ª posição da lista, logo a seguir a Serralves e antes da Sé Catedral. Melchior Moreira, presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal, arrisca uma hipótese para este destaque. "Um dos nossos produtos estratégicos é precisamente o City Break, e penso que será nesse contexto que esse resultado surge. Acredito que este indicador se prenda mais com o turismo interno, dos portugueses que vão à cidade e sabendo da oferta e qualidade dos produtos, aproveitam para ir às compras", diz este responsável.

A verdade é que o estudo de Serralves refere que "não se registaram diferenças estatisticamente significativas entre nacionais e estrangeiros no que respeita aos locais top 5 mais visitados da cidade do Porto" - top encerrado, precisamente, pelos centros comerciais, com 42% dos inquiridos a garantir que os visitou ou pretende visitá-los, na sua estadia na cidade.

Serralves tem outro estudo

A directora-geral da Fundação de Serralves, Odete Patrício, também não encontra explicação para este dado e diz que vai esperar pelos resultados de um outro estudo que a instituição espera apresentar em Maio, centrado na questão dos públicos, para tirar conclusões mais concretas.

"O objectivo deste estudo não era avaliar quais as principais atracções da cidade, mas quantificar o valor económico de Serralves. Os autores resolveram alargar um pouco o âmbito e introduzir estas questões. Nós, claro, ficamos contentes por aparecer em 4.º lugar, mas acho que estes resultados dependem sempre muito da amostra.

No [site]Trip Advisor, por exemplo, que valorizo muito, por ser aberto a todos, hoje [quinta-feira] aparecemos em 8.º [à frente da Casa da Música, em 9.º] , mas já houve dias em que estávamos em primeiro", diz.

Já Melchior Moreira não se mostra surpreendido com o top 5 do estudo de Serralves (com excepção da presença dos centros comerciais) nem com o facto de a Casa da Música ultrapassar a Torre dos Clérigos, que este ano está a celebrar os seus 250 anos. "Isto vem confirmar um conjunto de dados que já tínhamos em relação à cidade do Porto, de procura muito grande do touring ligado à Cultura e ao património", assinalou.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues