Brasileiros investem 30 milhões em fábrica em Figueiró dos Vinhos

Empresa foi classificada pelo Governo como de "especial mérito e interesse para a economia nacional" e deverá criar 80 empregos

A empresa BDP - Biodinâmica Dental Products, Lda., está a preparar-se para investir cerca de 30 milhões de euros numa unidade produtiva de fabricação e comercialização de produtos odontológicos e de ortodontia em Figueiró dos Vinhos, um concelho situado na zona norte do distrito de Leiria.

A câmara local refere que a BDP, de capitais brasileiros, justifica a escolha daquele concelho do Pinhal Interior Norte para o seu projecto com a "localização estratégica no eixo IC8 - A13 (Lisboa/Porto e Figueira da Foz/Corredor Atlântico)" e com as "estruturas locais, condições, apoios e benefícios municipais" relacionados com a captação e fixação de investimentos, sem esquecer a "excelente qualidade de vida e de condições laborais".

A autarquia, presidida pelo social-democrata Rui Silva, assegura que se trata de uma unidade industrial cuja instalação e laboração são "inovadoras e relevantes para o desenvolvimento sustentável do município e da região onde se insere", contribuindo "significativamente para a diversificação do tecido empresarial local" e colocando Figueiró dos Vinhos no "mapa nacional no sector da saúde, biotecnologia e biodinâmica".

Por outro lado, enaltece o contributo da empresa para a "criação de postos de trabalho" e, ainda, para a "dinamização da actividade económica regional no seu todo".

Dedicada, também, à investigação e desenvolvimento em biotecnologia e biodinâmica, a empresa prevê criar, até Janeiro de 2015, pelo menos 80 postos de trabalho. A BDP vai instalar-se numa antiga unidade industrial que trabalhava na área das confecções e aposta, segundo a autarquia, em "produtos com elevada qualidade para o mercado internacional", refere a edilidade.

A empresa tem como alvos prioritários o mercado brasileiro, europeu e americano e, numa segunda fase, o Médio Oriente e a Ásia.

Depois de a Câmara de Figueiró dos Vinhos ter considerado o investimento de "interesse municipal", o Governo classificou-o como de "especial mérito e interesse para a economia nacional", tendo-lhe atribuído incentivos fiscais no âmbito do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas (IRC), e isenções no que toca ao Imposto Municipal sobre a Transmissão Onerosa de Imóveis, Imposto Municipal sobre Imóveis e Imposto de Selo.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues