• A consumar-se, a ruptura do PD mudará a paisagem política italiana, abrindo uma avenida aos populismos. Não se deve a divergências ideológicas mas a uma disputa do poder entre pessoas e clãs.

  • Sem referir nenhum país em particular, o Papa Francisco citou a Declaração de Independência dos EUA ao defender imigrantes e refugiados.

  • Pelo menos 4579 refugiados e migrantes morreram em 2016 na rota do Mediterrâneo entre aquele país árabe e a Itália.

  • Tem uma pena de quatro anos de prisão para cumprir em Itália por ter participado no rapto e tortura de um imã que morava em Milão.

  • O ex-primeiro ministro de Itália diz que “não cede a chantagens” e deixa em aberto a recandidatura à liderança dos democratas.

  • Depois de os bilhetes para o Crotone-Juventus terem esgotado, um adepto da equipa de Turim tentou fingir que precisava de internamento num hospital que se situa ao lado do estádio.

  • O centro-esquerda europeu sabe que só se poderá salvar no quadro europeu e não no quadro nacional. No médio prazo, ceder ao populismo e ao nacionalismo será a sua verdadeira condenação à morte.

O Público faz anos e o presente é para si! Saiba mais