• Portugal tem de balançar entre as suas duas vocações: a europeia e a atlântica. E que será tanto mais relevante numa dessas frentes quanto seja capaz de se mostrar relevante na outra.

  • Portugal opor-se interminavelmente à vontade expressa de todos os outros membros? A resposta só pode ser não.

  • É verdade que os países desenvolvidos não estão a investir em Portugal e que temos de ir buscar capital à China, a Angola e agora, pelos vistos, à Guiné Equatorial. Cabe-nos alterar estas circunstâncias em vez de nos rendermos a elas.

  • Meridian Brothers, Ajinai e Jambinai reinventaram o rock no Festival Músicas do Mundo. E fizeram companhia a Mulatu Astatke e Ibrahim Maalouf nos muitos pontos altos de dois dias que culminaram com um concerto de sitar saudado por uma multidão às quatro da manhã.

  • As dezenas de milhares de emigrantes “qualificados” de hoje são o equivalente aos meninos de 1870.

  • O editor Rui Valentim de Carvalho e os fadistas José Manuel Barreto e André Baptista são outros galardoados com os prémios Amália deste ano, que serão entregues em Outubro no Teatro Municipal de S. Luiz