Se rankings multidimensionais não angustiam muita gente nem promovem brados de alegria noutros tantos, já as reacções postas em rankings como os da Dívida Soberana ou os da FIFA e da UEFA nã

  • Se rankings multidimensionais não angustiam muita gente nem promovem brados de alegria noutros tantos, já as reacções postas em rankings como os da Dívida Soberana ou os da FIFA e da UEFA nã

  • O mês de Junho encerrou com o futebol nacional a dar cartas em matéria de receitas com vendas de jogadores, num contexto em que as contratações a custo zero representam mais de metade dos negócios.

  • A selecção nacional ultrapassou o Chile, a Colômbia, a França e a Bélgica. Alemanha é a nova líder.

  • O ex-presidente da FIFA está actualmente a cumprir uma proibição de exercer funções relacionadas com o futebol. “Só não posso ser árbitro”, afirma.

  • Infantino considera que a experiência na Taça das Confederações deu resultados positivos embora admita que o uso possa ser melhorado.

  • A discriminação de género no desporto levou a Equal Playing Field a organizar uma competição acima das nuvens. Um recorde mundial em nome do desporto no feminino.

  • Jogos com 60 minutos, penáltis sem recarga e cartões amarelos e vermelhos para treinadores e dirigentes são algumas das medidas em estudo pelo International Board.

  • Há quem não perca o sono se a competição que hoje começa na Rússia deixasse de existir. Para daqui a quatro anos, diz o presidente da FIFA, está tudo em cima da mesa.

  • O banqueiro transferia os pagamentos para contas nos bancos onde trabalhava.