• Passos Coelho diz que o emprego não remunerado justifica parte importante do aumento da população empregada. Tem razão quando diz que há um crescimento deste indicador, mas há outros dados a ter em conta.

  • O INE reviu em baixa a taxa de desemprego do mês anterior.

  • Emigrar é, para muitos, uma escapatória ao desemprego e à precariedade. Um livro, Regresso ao Futuro – A nova emigração e a sociedade portuguesa (Gradiva), desfaz ideias sobre o que representa esta espécie de êxodo

  • António Valadas da Silva, presidente do instituto, diz que auditoria vai arrancar "proximamente". Objectivo é "identificar áreas e aspectos de melhoria" para evitar fraudes no uso do programa de estágios e nos outros apoios ao emprego.

  • Em 2014 e 2015, Portugal gastou mais de 70 milhões euros por ano em estágios profissionais. Mais de 60% das verbas para políticas activas para o emprego inscritas no Portugal 2020 foram já comprometidas. Mas, por trás de casos de sucesso, repetiram-se muitas histórias de ilegalidade e abuso.

  • Dois dos processos já seguiram para o Ministério Público. No centro da polémica está o programa Estágios-Emprego que desde 2011 apoiou quase 300 mil pessoas