Eleições França 2017

Todos os tópicos

  • Este terramoto político francês pode vir a revelar-se aliás de importância decisiva para o futuro da União Europeia. Não será por acaso que Angela Merkel admitiu esta semana a possibilidade de criação de um orçamento próprio para a zona euro.

  • A maioria presidencial será menos ampla do que previsto mas subverte o quadro partidário. A segunda volta foi marcada por uma abstenção recorde

  • A República em Marcha e aliados do MoDem devem eleger 355 dos 577 deputados. Le Pen eleita deputada. Líder dos socialistas demitiu-se.

  • Ministro da Justiça francês repreendido pelo primeiro-ministro por ter ameaçado jornalistas que investigam acusações que visam membros do seu partido. Segunda volta das legislativas é já no domingo.

  • Sem hipóteses de travar a grande "maré Macron", o desafio dos dirigentes do Partido Socialista e de Os Republicanos é provar a sua relevância política. A segunda volta das legisaltivas é domingo.

  • O PS, que Mitterrand ressuscitou em 1971, está praticamente morto. Nas legislativas de 1969, os socialistas tiveram pouco mais de cinco por cento. E não se vislumbra alguém com o perfil do primeiro Presidente socialista da V República.

  • Líder Marine Le Pen deverá ser eleita pela primeira vez para o Parlamento.

  • Estas eleições não são históricas pelos números mas pelo “terramoto” que provocam no sistema partidário.