Onda de calor altera mapas meteorológicos na Austrália

Previsão de temperaturas acima de 50 graus Celsius obrigam à adopção de mais duas cores para descrever até onde os termómetros podem chegar.

Até há dois dias, a cor preta representava o máximo de calor que se imaginava possível sentir na Austrália – 50 graus Celsius. Agora, a agência meteorológica australiana foi obrigada a adicionar duas novas cores – rosa (54 graus) e roxo-escuro (52 graus) – devido à ardente onda de calor que está a varrer o Sul do país e que promete manter-se por mais alguns dias.

As temperaturas máximas têm estado acima dos 39 graus Celsius há uma semana – um novo recorde que supera o de quatro dias consecutivos acima daquele nível, em 1973. Na segunda-feira, os termómetros chegaram a 48,2 graus na cidade de Oodnatta – que detém o recorde histórico de 50,7 graus, no Verão de 1960.

Na terça-feira, o Departamento de Meteorologia da Austrália previa que, nos próximos dias, a temperatura pudesse ultrapassar os 50 graus. “Para melhor entender as temperaturas que poderemos ter, adicionámos duas novas cores”, disse Aaron Coutts-Smith, dos serviços climáticos da agência meteorológica, citado pela agência Reuters.

Nesta quarta-feira, as previsões foram revistas ligeiramente em baixa e, na zona onde antes se anteviam novos recordes, as máximas estarão entre 46 e 48 graus.
Previsões de terça-feira passada para a próxima segunda
O calor, que nos últimos dias afectou sobretudo a região Sudoeste da Austrália, deverá mover-se mais para o Centro do país nos próximos dias, mantendo-se pelo menos até segunda-feira.

A histórica onda de calor já provocou mais de uma centena de incêndios, obrigando à evacuação de localidades e propriedades rurais. Pelo menos 40 estavam fora de controlo na terça-feira e em vários pontos do país foram lançados alertas de fogos “catastróficos”, o mais elevado na escala dos serviços de protecção civil.

Além do calor, a Austrália está também sob um alerta de tempestades, devido ao ciclone tropical Narelle, que está a mover-se ao largo da costa Noroeste do país. O ciclone deverá aproximar-se da costa na sexta-feira, trazendo chuvas e ventos de até 100 quilómetros por hora.
 
 

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues