Antigos trabalhadores da Rohde baixam preço de venda da fábrica

Cerca de 600 ex-trabalhadores decidiram hoje descer o preço do equipamento fabril.

Trabalhadores da Rohde em assembleia de credores em 2009 Nelson Garrido

As antigas instalações da multinacional alemã de calçado Rohde, em Santa Maria da Feira, continuarão à venda mas por um preço inferior, ou seja, por 5,3 milhões de euros.

Cerca de 600 ex-trabalhadores, do total de 948 operários que ficaram sem emprego quando a fábrica fechou, em Maio de 2010, reuniram-se hoje, no cineteatro da Feira, e decidiram baixar o preço inicial pedido pelo complexo industrial de 6,9 para 5,3 milhões de euros. A administradora da insolvência vai agora proceder aos devidos anúncios de venda.

A coordenadora do Sindicato do Calçado dos Distritos de Aveiro e Coimbra, Fernanda Moreira, refere ao PÚBLICO que qualquer proposta que seja apresentada por um valor inferior será devidamente analisada pelos ex-trabalhadores, os principais credores da fábrica que chegou a ser a maior empregadora do sector do calçado do país. A responsável acrescenta que a Segurança Social já adiantou um total de oito milhões de euros através do fundo de garantia salarial, atribuindo, em média, cerca de oito mil euros a cada trabalhador.

O complexo industrial da Rohde é constituído por 10 pavilhões, alpendre, edifício com cave e rés-do-chão para dormitório e logradouro, num total de 19.738 metros quadrados de área coberta. Em Dezembro de 2011, as instalações da fábrica foram colocadas à venda, mas até ao momento não foi apresentada qualquer proposta formal de compra. Nessa altura, os interessados podiam apresentar propostas com um valor mínimo de 70 por cento da quantia estipulada.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.