Sonaecom fala em ano "excepcional"

Ângelo Paupério: “Estamos a olhar para o futuro com confiança, mas sem falta de realismo”

Ângelo Paupério prevê "enormes desafios" este ano Paulo Ricca/ arquivo

O presidente executivo da Sonaecom, que registou lucros de 41,2 milhões de euros em 2010, diz que a empresa está preparada para os desafios futuros.

Ângelo Paupério afirmou hoje, durante a apresentação de resultados da empresa, que o ano de 2010 “foi excepcional”, referindo-se ao facto de ter registado lucros de 41,2 milhões de euros – sete vez mais do que o resultado líquido do ano anterior.

“É a prova de que existe uma estratégia que se está a mostrar de sucesso. Tivemos desenvolvimentos em todas as linhas e, por isso, 2010 ficará marcado por essa evolução, que nos dá um grande conforto para enfrentar os desafios que temos pela frente”, referiu o gestor.

No ano passado, o volume de negócios da Sonaecom (proprietária do PÚBLICO) desceu três por cento, devido à perda de receitas oriundas do programa e-iniciativas, cujo pico foi em 2008, e à diminuição das tarifas de terminação móvel e reguladas no roaming-in. No entanto, houve um decréscimo de 5,6 por cento nos custos operacionais, o que permitiu à empresa, subsidiária do grupo Sonae, equilibrar os resultados de 2010.

Para este ano, Ângelo Paupério espera “enormes desafios”, tendo pedido, num comunicado enviado às redacções, que o regulador e o Governo assumam as suas “responsabilidades”.

“Estamos a olhar para o futuro com confiança, mas sem falta de realismo”, rematou, escusando-se a fazer previsões em relação ao desempenho da Sonaecom em 2011. “É prematuro fazer previsões”, referiu.

O gestor disse apenas que “não há razão para a tendência [de investimento] ser muito alterada, depois de no ano passado a empresa ter investido 14,2 por cento das receitas.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.