A jornada que pode decidir quase tudo ou complicar um pouco mais

É um dos campeonatos mais equilibrados de sempre. A história diz que quem lidera a cinco jornadas do fim é campeão

A temporada anterior foi aborrecida e previsível. À 25.ª jornada, o FC Porto era campeão, com um triunfo na Luz sobre o Benfica e terminaria a época com 21 pontos de vantagem sobre os "encarnados", liderando a classificação da segunda à 30.ª jornada. Nesta temporada, tudo é diferente. A liderança já mudou seis vezes de mão e, a cinco jornadas do fim, há três candidatos, separados entre si por apenas dois pontos. Quem lidera é o FC Porto, com um ponto de vantagem sobre o Benfica e dois sobre o Sp. Braga, e nesta jornada, a 26.ª defrontam-se portistas e minhotos (hoje, em Braga), com os "encarnados" a encontrarem o Sporting em Alvalade nesta segunda-feira. As distâncias são demasiado curtas para esta jornada determinar um novo campeão, mas quem sair na frente após estes dois duelos pode ficar com o ascendente emocional para enfrentar o que falta.

"Qualquer uma das três equipas tem potencial e quem ficar na frente fica com um suporte de motivação independentemente dos jogos que qualquer um deles ainda tem de fazer", diz ao PÚBLICO António Oliveira, antigo seleccionador nacional, satisfeito por este ser um campeonato que, provavelmente, será disputado até à última jornada e longe do que foi a última época, em que "já toda a gente estava a abrir a boca". "É fantástico, devia ser sempre assim", acrescenta Oliveira.

José Peseiro, antigo técnico do Sporting, diz que ninguém se poderá sentir campeão após esta jornada, até porque os candidatos, principalmente FC Porto e Benfica, têm acusado a pressão de uma luta a três "na forma como têm perdido pontos para equipas teoricamente mais acessíveis" - a melhor série de vitórias que o FC Porto conseguiu neste campeonato é de quatro, enquanto o Benfica chegou às oito, mas soma apenas três vitórias nas últimas sete rondas. Neste sentido, acrescenta Peseiro, é o Sp. Braga quem tem mostrado maior estabilidade, como provam as 13 vitórias consecutivas antes de ter sido derrotado na Luz na jornada anterior. "Tem sofrido menos pressão mediática, mas é natural que essa pressão vá aumentar quanto mais próximos estivermos do final", observa o técnico.

A história do campeonato mostra que quem lidera a cinco jornadas do fim, será campeão. É o que tem acontecido desde que a vitória vale três pontos desde 1995/96. Se se alargar o período para os 40 últimos campeonatos, apenas quatro vezes o líder a cinco jornadas do fim não foi campeão (78/79, 79/80, 85/86 e 92/93).

Este é mesmo um dos campeonatos mais equilibrados de sempre e, nos últimos 40 anos, apenas uma vez os três primeiros estiveram separados por menos pontos quando faltavam cinco jornadas para o fim. Aconteceu em 2004/05, com o Benfica, à entrada para a 30.ª ronda, a liderar com apenas um ponto de vantagem sobre Sporting e Sp. Braga e quatro sobre o FC Porto. A duas jornadas do fim, o comando passou para as mãos do Sporting, que o perdeu na jornada seguinte para os "encarnados" com uma derrota na Luz. O Benfica, na altura treinado por Giovanni Trapattoni, seria campeão, com três pontos de vantagem sobre o FC Porto e quatro sobre o Sporting.

O factor Sporting

Há um adversário comum nos cinco jogos que faltam aos três primeiros: o Sporting. Não estando na luta, os "leões" vão ter um papel importante nas contas do campeão, recebendo o Benfica nesta segunda-feira e, depois, defrontando FC Porto e Sp. Braga nas últimas jornadas. Aos "leões" resta lutar pelo quarto lugar no campeonato com o Marítimo, um objectivo secundário quando comparado com a final da Taça de Portugal ou com as meias-finais da Liga Europa. Ricardo Sá Pinto pode ter a tentação de fazer poupanças na equipa, mas António Oliveira não acredita que isso vá acontecer.

"O Sporting tem uma palavra a dizer e o Sá Pinto não vai descurar a luta pelo quarto lugar, que está, neste momento, a perder para o Marítimo. O Sporting não pode facilitar nem menosprezar o campeonato", diz Oliveira. Já para Peseiro, é natural que Sá Pinto dê prioridade a outras conquistas: "Já o fez e faz sentido que o faça, mas não acredito que o Sá Pinto vá comprometer os jogos do campeonato."

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues