Tottenham encurralou o Inter e encaminhou a eliminatória

Vitória concludente da equipa treinada por André Villas-Boas abre portas de acesso aos quartos-de-final. Zenit perdeu em Basileia.

Gareth Bale foi o autor do primeiro golo Ian Kington/AFP

A continuar assim, o Tottenham arrisca-se a repetir os êxitos de 1972 e 1984, anos em que conquistou a então denominada Taça UEFA. Esta quinta-feira, em White Hart Lane, encostou o Inter Milão às cordas com um triunfo por 3-0 e praticamente assegurou um lugar nos quartos-de-final da Liga Europa.

É verdade que se trata apenas da primeira mão e que, em Itália, dentro de uma semana, o Inter ainda terá uma palavra a dizer. Mas, a julgar pela amostra, os raides de Álvaro Pereira e os pormenores individuais de Ricky Álvarez não serão suficientes para dar a volta a uma eliminatória que ficou demasiado desequilibrada.

Aos 6’, Gareth Bale, o suspeito do costume, deu o melhor seguimento de cabeça a um cruzamento da esquerda. Foi o 21.º golo do atacante esquerdino em 34 jogos disputados esta época, nas diversas provas. Aos 18’, Sigurdsson, que assistira para o primeiro golo, ampliou a vantagem, na recarga que se seguiu a uma primeira defesa de Handanovic.

Em vantagem no marcador e no controlo absoluto das operações, os spurs exploravam a velocidade de Aaron Lennon e a mobilidade de Jermain Defoe para baralhar as marcações a Chivu e Rannochia. E embora o Inter tivesse disposto de uma boa ocasião para reduzir, seriam os britânicos a fechar o resultado, graças a um cabeceamento certeiro do belga Vertonghen, aos 53’.

E se o Inter está entre a espada e a parede nesta Liga Europa, o Zenit não se encontra em posição muito mais confortável. Com Luís Neto, Danny (substituído por Kerzhakov, aos 82’), Witsel e Hulk no “onze” inicial, os russos não conseguiram evitar uma derrota na Suíça, frente ao Basileia, por 2-0. O central português seria expulso aos 90’, minuto em que a equipa da casa, de grande penalidade, fechou a contagem, por Alexander Frei. Sete minutos antes, o chileno Marcelo Díaz tinha inaugurado o marcador.


 


 
 
 

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues