O melhor jogador do mundo de andebol suspenso por ter combinado resultados

Karabatic foi considerado o número um mundial em 2007 pela Federação Internacional de Andebol.

O francês Karabatic foi um dos jogadores castigados Pascal Guyot/AFP

O duplo campeão olímpico e mundial Nicola Karabatic e outros jogadores foram condenados a uma suspensão de seis jogos pela comissão de disciplina da Liga francesa de andebol (LNH), no âmbito de uma investigação sobre resultados combinados.

A confirmação de que o fenómeno dos resultados combinados é algo disseminado por vários desportos, não se cingindo ao futebol, não demorou a surgir. A comissão de disciplina considerou existirem elementos “objectivos, precisos e concordantes” para considerá-los “culpados de terem participado, directamente ou mediante outra pessoa” nas apostas sobre o resultado de um jogo, lê-se num comunicado difundido na terça-feira.

O caso, que rebentou em Setembro, implicava diversos jogadores do Montpellier, além das suas mulheres, namoradas e elementos da equipa técnica, na aposta de elevadas quantias de dinheiro num encontro do final da temporada passada contra o Cesson-Sévigné, que lhes teria valido 200.000 euros.

A sanção tem como fundamento “a gravidade dos factos investigados”, que, segundo a LNH, constituem “um comportamento que não se adequa aos princípios e regras deontológicos aplicáveis à prática do andebol” e que atentam contra os valores da Liga.

Os afectados pela suspensão de seis jogos são os irmãos Luca e Nicola Karabatic, considerado o melhor jogador do mundo, Samuel Honrubia, Mladen Bojinovic, Primoz Prost, Issam Tej e Dragan Gajic.

A investigação interna levada a cabo pela LNH escutou todos os desportistas “dentro do respeito mais estrito dos regulamentos em vigor e dos direitos da defesa”. Os sete andebolistas têm agora cinco dias para recorrer da decisão.

A polícia suspeita que pelo menos oito jogadores, além das mulheres e noivas e membros da equipa técnica, tenham apostado cerca de 70.000 euros num encontro da final da passada época, o que teria resultado num lucro de 200.000 euros.

O grosso das apostas ditava a desvantagem do Montpellier ao intervalo, do encontro disputado contra o Cesson-Sevigne, a 12 de Maio, quando os primeiros já tinham garantido o título.

O organismo público de apostas francês detectou uma quantia anormal de apostas nesse encontro – 70.000 euros - contra os poucos euros habituais, pelo que alertou as autoridades.

De seguida, foi aberta uma investigação, que permitiu averiguar que a maioria dos apostadores eram jogadores do Montpellier ou pessoas ligadas ao clube.

O regulamento francês impede os jogadores de apostar, directa ou indirectamente, numa competição em que estão implicados.     

 
 
 

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.