Coreia do Sul

Arqueólogos coreanos afirmam ter encontrado vestígios do barco mais antigo do mundo

Os arqueólogos acreditam que este pedaço de madeira pertenceu a uma embarcação da época neolítica DR

Um grupo de arqueólogos sul-coreanos anunciou, através do Instituto Samhan de Bens Culturais, a descoberta de vestígios de uma embarcação de madeira que terá cerca de oito mil anos em Uljin a cerca de 300 quilómetros de Seul. Se se confirmarem as suspeitas, estes são os vestígios deste género mais antigos de sempre.

Os restos do barco de madeira, que ao que tudo indica terá sido construído na época neolítica (8.000-1.000 a.C.), foram encontrados durante uma investigação a uma série de artefactos recuperados numas escavações em 2005 a pedido do governo de Uljin.

Segundo a agência Efe, estes vestígios só agora foram identificados porque quando foram encontrados estavam muito deterioradas.

“O fragmento do barco e o remo foram retirados junto com uma grande porção de terra e por isso estavam muito corroídos e as suas formas difíceis de reconhecer”, disse ao Korea Times o director do Instituto Samhan de Bens Culturais, Kim Ku-geun, explicando que esta descoberta vai ajudar a explicar uma parte da vida quotidiana e da economia da época neolítica.

No entanto, já em 2005, os arqueólogos responsáveis pelas escavações reivindicavam ter descoberto os vestígios do barco mais antigo do mundo. A descoberta só não foi validade porque carecia de investigação, que foi entretanto realizada e ainda não acabou. Os vestígios continuam a ser estudados e conservados, esperando-se ainda resultados mais concretos.

Os vestígios encontrados pertencem a um barco que serviria para os homens irem à pesca. O seu estudo permitirá ainda perceber os métodos de construção de carpintaria dos habitantes naquela região há oito mil anos.

O fragmento do barco encontrado, que é feito de uma material duradouro, nomeadamente madeira de cânfora, tem 64 centímetros de comprimento, 50 de largura e 2,3 de espessura. O remo, feito de carvalho, mede cerca de 170 centímetros.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues